Suporte dos Bombeiros humaniza e dá agilidade à mutirão de combate à dengue

Médicos e enfermeiros da corporação atuaram em tendas de quatro regiões administrativas; pacientes elogiaram atendimento

A ação de 50 militares do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) em quatro tendas do mutirão da Saúde de combate à dengue foi bem recebida por pacientes que buscaram atendimento nesse sábado (8). Dezesseis médicos e nove farmacêuticos da corporação se distribuíram por turnos (manhã e tarde) em quatro tendas instaladas há 15 dias pela Secretaria de Saúde nas regiões administrativas de Ceilândia, Brazlândia, Itapoã e Planaltina. As cidades foram selecionadas entre todas as outras pela corporação pelo grande número de focos encontrados do mosquito Aedes Aegypti.

“O atendimento é muito profissional. Estamos sendo tratadas com amor e atenção”, elogiou a doméstica Eva Cristina da Silva, 32 anos. Ela acompanhava a irmã Cristiana Aparecida, 27, diagnosticada com dengue pelo corpo médico na tenda montada no estacionamento do Hospital Regional de Planaltina.

Cristiana, que está desempregada e mora no bairro Arapongas, começou a sentir dores pelo corpo e na cabeça, fraqueza e febre ainda no começo da semana. Só conseguiu buscar ajuda na tenda no sábado. Depois de passar pelo atendimento da equipe da Secretaria de Saúde e pelos médicos dos Bombeiros, fez o exame e foi constatada a doença. Sob uma maca e tomando soro para se hidratar, ela disse ter se sentido segura com o atendimento prestado. “Foi maravilhoso. Deveria ter mais tendas como esta para desafogar os hospitais.”

Ao chegar com o pai em busca de socorro, o gerente Anderson Sainça Machado, de 41 anos, acreditava estar com dengue. O resultado do teste deu positivo. Ainda assim ele ficou de repouso e recebeu hidratação venosa.” Fui bem cuidado e o atendimento aqui está sendo rápido e eficaz”, contou.

Paciência
Na tenda visitada pela Agência Brasília em Planaltina, a tenente coronel Roberta Meirelle recebia com paciência quem buscava ajuda. Os pacientes passavam primeiro por uma equipe da Secretaria de Saúde que verificava a pressão, a temperatura e faziam um teste rápido de dengue hemorrágica para casos aparentemente mais graves. Em seguida, o cidadão era encaminhado a um dos quatro atendentes – dois médicos dos Bombeiros e enfermeiros da Secretaria de Saúde. O teste rápido era pedido e casos que necessitavam eram encaminhados para hidratação – oral ou venosa. “Um trabalho importante que está sendo realizado”, avaliou a médica.

Para o enfermeiro Igor Xavier, que passou o final de semana atendendo a população em Planaltina, o resultado do trabalho tem sido bastante positivo. “As tendas estão dando uma vazão e fluidez muito grande e desafogando o atendimento nos postos e hospitais”, disse.

Balanço
Ao todo, o comando da equipe médica do CBMDF registrou, no sábado, 490 atendimentos à população nas quatro tendas. Houve 257 pessoas diagnosticadas com dengue; 13 remoções de casos mais graves encaminhados aos hospitais; 66 casos de hidratações; e 246 testes NS1 – que é o teste rápido feito nos postos e que indica infecção recente.

O número de testes registrados e casos detectados com positividade variaram entre as regiões administrativas atendidas pelos bombeiros: no Itapoã foram 44 testes, sendo 5 positivos; em Planaltina, de 100 testes, 8 foram reagentes; em Brazlândia, 38 testes e 15 positivos; e em Ceilândia foram 63 testes, sendo 17 confirmados com dengue.

Do total de 246 testes realizados e 45 casos contornados, o percentual de positividade foi de 18,3%, número considerado alto pelo Corpo de Bombeiros. Ainda segundo a assessoria de comunicação da corporação, alguns casos se confirmaram como dengue, mesmo com o resultado negativo do exame que após quatro dias de infecção não reage na amostragem.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui