Polícia investiga agressão a casal homossexual em Ceilândia

De acordo com o relato de uma das vítimas à Polícia Civil do Distrito Federal, um homem, vizinho do casal, o teria xingado de “viado”, desferido um soco em seu nariz e atirado diversos objetos em sua direção

 

Um casal homossexual, residente em Ceilândia, diz ter sido vítima de homofobia na tarde deste terça-feira (31/5). De acordo com o relato de uma das vítimas à Polícia Civil do Distrito Federal, um homem, vizinho do casal, o teria xingado de ”viado”, desferido um soco em seu nariz e atirado diversos objetos em sua direção.

O crime é investigado como lesão corporal e injúria preconceituosa. Segundo informações preliminares da PCDF, o casal mora junto, na QNO, há dois anos e, há cerca de um mês, uma das famílias se mudou para a casa dos fundos do quintal. Segundo as vítimas, um dos homens estava em casa quando o agressor chegou embriagado e foi até sua residência agredir os animais e iniciar uma confusão.

Após proferir ofensas, o suspeito deu um soco no nariz e jogou objetos em direção à vítima. De acordo com o relato do casal feito à Polícia Civil, o vizinho é agressivo e foi flagrado diversas vezes agredindo a própria mulher. O crime aconteceu por volta das 18h desta terça-feira (31/5), e é investigado pela 24ª Delegacia de Polícia (Setor O).

Mais uma vitima de homofobia

No último dia 15, um professor da Universidade de Brasília (UnB) foi vítima de homofobia em um bar na 201 Norte. De acordo com o educador, um cliente que estava no estabelecimento se sentiu incomodado com as carícias que o docente trocou com o namorado. Além disso, o casal foi acusado de praticar “atos obscenos” no estabelecimento.

Neste momento, eles chamaram a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) para averiguar o caso, e todos foram encaminhados para a 5ª Delegacia de Polícia (Área Central de Brasília). A confusão ocorreu por volta das 18h. Na ocorrência registrada pelo casal, os crimes de injúria, ameaça (em apuração) e de ato obsceno constam no documento.

À época, o Deboche! Bar publicou uma nota sobre o ocorrido nas redes sociais repudiando todo e qualquer ato contra o público LBGTQIA+. “Não diminua suas atitudes, não volte no tempo, não julgue o amor, não ‘mimimize’ crimes e violência. Existimos como seres humanos porque evoluímos juntos. Recuse-se a regredir. Lute com isso que te impele ao ódio, não escolha flagelar a si mesmo com o mal. Você pode, você consegue”.

Crime

Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de junho de 2019 permitiu a criminalização da homofobia e transfobia. Os ministros consideraram que atos preconceituosos contra homossexuais e transexuais passariam a ser enquadrados no crime de racismo.

A lei prevê que “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito” em razão da orientação sexual da pessoa poderá ser considerado crime e a pena será de um a três anos, além de multa. Se houver divulgação ampla de ato homofóbico em meios de comunicação, como publicação em rede social, a pena será de dois a cinco anos, além de multa.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui