Marido fica com 90% do corpo queimado após ataque da mulher

0

Esposa foi presa por tentativa de homicídio em Hortolândia, no interior de São Paulo. Ela alega que estava sendo agredida

 

 

Uma mulher de 50 anos foi presa por tentativa de homidicio após atear fogo ao próprio marido em Hortolândia, no interior de São Paulo, na segunda-feira (8). Ricardo Fidelis Blanco, de 38 anos, está internado em estado gravíssimo com 90% do corpo queimado no Hospital de Queimados de Limeira, também no interior do estado.

Ricardo foi socorrido pelo helicóptero Águia da PM

Ricardo foi socorrido pelo helicóptero Águia da PM

REPRODUÇÃO/RECORD TV

Sueli Regina da Silva alega que tentou se defender das agressões do companheiro. O casal mantinha o relacionamento há dez anos e as brigas eram frequentes.

A irmã de Ricardo contou, que a cunhada fazia ameaças, e sempre teve medo de que ela cumprisse o que prometia. “Ele é magro, magrinho. Ela é forte, ela é mais forte do que ele. Ela que batia nele, ela aproveitava a situação e batia nele”, afirma a irmã da vítima. No dia do crime, áudios recebidos pela cunhada indicavam o que estava por vir. A agressora aparentava intenso nervosismo e pedia, mais de uma vez, para o sogro ir à casa do casal. “Pro negócio não ficar mais feio, fala pro seu pai que eu quero falar com ele. Fala pra ele vim aqui. Eu tô bem estressada, o Ricardo tá acabando de me estressar, o negócio não vai ficar bom”, afirma Sueli.

O alerta foi enviado de manhã. Horas depois, à tarde, ocorreu o crime, após mais uma briga. “Ela pegou um balde de produtos de casa, de limpeza, que têm álcool no meio, e tacou nele, mas pra assustar ele, porque ele tava batendo nela. Mas ela tava com o cigarro acesso perto e, no entanto, pegou fogo nele”, conta Welllington Macedo, filho de Sueli.

Era por volta das 15h quando uma vizinha que mora ao lado ouviu os gritos de Sueli. Ela dizia que tinha colocado fogo no marido. Imediatamente, a vizinha foi até a casa e encontrou Ricardo deitado no sofá, muito fraco, praticamente inconsciente. Foi a vizinha quem chamou o SAMU. A Guarda Municipal tambem foi acionada. Quando chegaram ao local, a mulher afirmou ter sido agredida pelo companheiro. Contou ainda que jogou água nele em uma tentativa de apagar as chamas após o fogo ter se alastrado.

Em uma rede social, um dos seis filhos de Sueli (nenhum deles com Ricardo) defendeu a mãe. “Esse cara só batia nela, judiava dela. Infelizmente, ela não aguentava mais e acabou assustando ele, jogando produtos de limpeza em cima dele. Ele foi pra cima dela. Ela estava fumando um cigarro e acabou pegando fogo nele. Só peço que não condene minha mãe. Ela é uma mulher trabalhadora que cansou de apanhar!”, afirmou.

A família de Ricardo nega que ele agredia a companheira, e alega que quem batia era Sueli. Os parentes da vítima também a acusam de dopar o marido – eles afirmam que a mulher costumava dar remédios para adormecer o companheiro. Há 15 dias, ela e um filho teriam agredido Ricardo dentro da casa. Ele não registrou boletim de ocorrência por medo das ameaças que recebeu. “A gente achou que não ia chegar na proporção que aconteceu”, disse a irmã da vítima. Ela diz que o crime ocorreu não porque Sueli era agredida, mas por interesses financeiros. “A intenção dela é matar ele, pra ela e os filhos dela ficarem dentro da casa que é do meu pai. Essa casa que eles moram é do meu pai.”

O caso está sendo investigado. Sueli já foi ouvida e deve ter seu destino decidido em uma audiência de custódia.

anuncio patrocinado
Anunciando...