Homem acusado de matar ex e o filho dela é solto por engano em BH

0

Paulo da Rocha foi flagrado por câmeras atirando em Tereza Cristina Peres e no filho de 22 anos, saindo de uma academia

 

Um homem acusado de matar a ex-namorada e o filho dela no meio de uma rua de Belo Horizonte, em julho de 2019, foi solto por engano uma semana antes de ser julgado, por motivos ainda não esclarecidos pelos órgãos de segurança e da Justiça. O crime foi flagrado por câmeras de segurança e chocou pela frieza do suspeito.

Paulo Henrique da Rocha, de 35 anos, foi indiciado pela morte da fisiculturista Tereza Cristina Peres, de 44 anos, e do filho dela, Gabriel Peres Mendes, de 22. Mãe e filho voltavam da academia, próximo a Avenida Bernardo Vasconcelos, no bairro Ipiranga, quando foram assassinados a tiros pelo suspeito, que foi preso dois dias após o crime.

O julgamento de Rocha está marcado para a próxima terça-feira (31), mas ele acabou sendo solto na última terça (24), após um erro no sistema da Justiça. Ele teria sido liberado da prisão em relação a um outro crime, cometido em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Mas a soltura não poderia ter sido realizada, já que ele é alvo de um mandado de prisão preventiva pela morte da fisiculturista e do filho dela.

A família de Tereza ficou sabendo da liberação do suspeito nesta quinta-feira (26). Os parentes das vítimas temem que, com a soltura de Rocha, as mortes da fisiculturista e do jovem acabem ficando impunes.

REPRODUÇÃO / REDES SOCIAIS

Empurra

Em nota, a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) declarou que a soltura de detentos é determinada pelo Poder Judiciário, sendo que o Depen (Departamento Penitenciário de Minas Gerais) apenas cumpre as ordens. Ainda de acordo com a pasta, não constava nenhum mandado de prisão em aberto no sistema no momento da soltura.

Já o Fórum Lafayette informou Rocha obteve alvará de soltura em relação a um processo de Ribeirão das Neves. O órgão informou que ainda precisa apurar internamente se o acusado estava preso apenas por este processo ou também pelo duplo homicídio de Belo Horizonte. A reportagem aguarda retorno.

Relembre o caso

fisiculturista Tereza Cristina Peres, de 44 anos, e o filho, Gabriel Peres Mendes, de 22 anos, foram mortos na noite de 29 de julho de 2019. A mulher voltava da academia, no bairro Ipiranga, na região Nordeste de BH, quando foi surpreendida por Paulo Henrique da Rocha, que disparou várias vezes contra mãe e filho.

Tereza já havia registrado sete boletins de ocorrência contra o ex-companheiro e era acompanhada pela Patrulha de Violência Doméstica. Cinco meses antes de ser morta, a fisiculturista havia denunciado o ex-companheiro em entrevista ao jornalismo da Record TV Minas. À época, ela contou que vivia um relacionamento conturbado e marcado por agressões.

Quando decidiu terminar o relacionamento, foi vítima de vingança. O ex teria criado perfis falsos na internet dizendo que a fisiculturista era garota de programa. Tereza relatou ter sido vítima de ameaça e difamação. Durante a entrevista, Tereza chorou várias vezes e confessou que tinha medo de ser morta por Rocha.

anuncio patrocinado
Anunciando...