Cia Street Cadeirante lança espetáculo no mês da luta da pessoa com deficiência

0

Grupo adapta-se ao distanciamento social da pandemia e faz sucesso ensinando dança a pessoas com deficiência de todo o Brasil. A experiência está narrada em espetáculo documentário, que será lançado dia 29 de setembro

No mês em que se comemora o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21), criado para conscientizar sobre a importância de inclusão dessas pessoas na sociedade, a Cia de Dança Street Cadeirante, grupo brasiliense premiado no Festival Funarte AcessibiliDança Virtual 2020, lança o espetáculo “Rodas em Dança: Livres e Lives”. O filme aborda o protagonismo da companhia no enfrentamento à pandemia e mostra como o distanciamento social fez com que se lançassem em novos desafios: o de promover aulas ao vivo e gratuitas, através das redes sociais.

A iniciativa, pioneira no país, tornou-se um sucesso. As aulas são ministradas aos sábados, pelo Zoom, e, a cada mês, um professor diferente ensina técnicas e coreografias direcionadas ao público cadeirante. “Estamos passando por um marco histórico. Vamos mostrar esse marco por meio da dança, por meio da arte e do que a gente está vivendo”, explica a fundadora do Street Cadeirante, Carla Maia.

Carla conta que todos estavam se sentindo presos e que as “Lives” trouxeram a dança e a liberdade de volta. Essa também foi a inspiração para o título do documentário – “Rodas em Dança: Livres e Lives”. O nome em inglês (lives) faz ainda um jogo de palavras com a sua tradução para o português, que significa “Vidas”. “A pandemia nos prejudicou, mas também nos trouxe benefícios. Nós amadurecemos, nós nos adaptamos, nós superamos nossas dificuldades. E eu gosto de falar: a vida continua em movimento, sempre, como na dança”, pondera.

O documentário foi feito em parceria com o Beco da Coruja Produções e será incorporado ao acervo da Funarte, para exibição permanente por meio digital. O filme tem direção artística e coreografias de Eduardo Amorim, que já trabalhou com Anitta, J. Balvin, Shakira, entre outros artistas renomados, além de participação coreográfica de Fernando Perrotti e Alê Araújo. Integram o corpo de dança: Carla Maia, Mariana Guedes, Delma Ferro, Julliana Lindsem, Vânia Blessed, o atleta paralímpico Estevão Lopes, Carol Belfort e Ana Fiche. O filme também conta com participação especial de cadeirantes de todo o Brasil, que fizeram as aulas online do grupo.

O documentário “Rodas em Dança: Livres e Lives” pode ser conferido gratuitamente nas redes sociais da Funarte, a partir de 29 de setembro. Em Brasília, o grupo também promoverá a exibição no Cine Drive-in, no dia 30/09, às 18h30, em ação beneficente, com a presença dos integrantes da companhia, que estarão disponíveis para um bate-papo.

Os ingressos são por veículo, independentemente do número de pessoas, com venda exclusiva pelo Sympla. O público será limitado a 200 veículos. O valor será revertido para manutenção do grupo. Quem adquirir o ingresso também concorrerá a sorteios. São diversos prêmios como camisetas, R$ 500,00 de crédito em compras na Coqueiro Materiais para Construção, um mês de treino na Capital do Remo, e direito a participação na aula virtual para cadeirantes da Cia de Dança, no dia 02 de outubro. O sorteio será realizado entre os presentes, antes do início do espetáculo.

Durante o evento, também serão arrecadados alimentos não perecíveis e fraldas geriátricas para o Projeto Junto Somos Mais Fortes, que atende famílias carentes do DF.

O Primeiro Passo

A Cia Street Cadeirante surgiu a partir de um sonho. Apaixonada pela dança desde a infância, a jornalista e paratleta Carla Maia se viu obrigada a colocar de lado a atividade após um sangramento raro na medula, que a deixou tetraplégica. Carla traçou uma trajetória que inspira. Oito vezes campeã brasileira de tênis de mesa da classe dois, ela também foi a primeira brasileira a concorrer na final do concurso de beleza internacional Miss Mundo Cadeirante. A partir daí, decidiu retomar sua paixão pela dança, inspirada por artistas norte-americanos que trabalhavam o estilo de rua sobre as rodas. Com a participação da academia Juliana Castro, nascia, assim, a companhia Street Cadeirante, que teve como primeiro coreógrafo, Wesley Messias.

A bailarina Juliana Lindsem é uma das integrantes que está no grupo, desde o início. Em 2011, um acidente de carro colocou a dança profissional como uma realidade distante, até se juntar ao projeto Street Cadeirante. “Mudou muito a minha perspectiva de vida, porque hoje eu tenho uma visão diferente em relação a estar em uma cadeira de rodas. Mudou bastante a minha forma de pensar, de agir, levantou ainda mais a minha autoestima. Queremos mostrar para as pessoas que não é porque temos uma limitação, que a gente tem que parar a vida, parar de fazer as coisas que a gente ama”, ponderou.

Com apenas três anos de fundação, a Cia. consolidou um currículo de sucesso: já foi atração no Capital Motoweek e em duas edições do Carnaval no Parque, na Capital Federal, onde abriu um show de Anitta. Em 2020, o Street Cadeirante foi agraciado com o Prêmio For the Brave de Empreendedorismo Social e participou do quadro The Wall, do programa do Caldeirão do Huck, da Rede Globo.

Serviço

Documentário – Rodas em Dança: Livres e Lives

Projeto contemplado pelo Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual 2020
Realização: Beco da Coruja Produções

Lançamento:
> On line – 29 de setembro/21 – exibição gratuita e permanente nas redes sociais da Funarte
> 30 de setembro – Cine Drive In – 18h30 (apenas 200 veículos)

Ingressos por veículo, independentemente do número de pessoas:

1º lote: R$ 66,00
Venda: www.sympla.com.br/rodas-em-danca—livres-e-lives_1315247

O Street Cadeirante tem apoio da Cia Athletica, da Coqueiro Materiais para Construção e do Instituto Levvo.

Contato para a imprensa: (61) 98343-7369 – Bárbara de Alencar

anuncio patrocinado
Anunciando...