Saiba como cada senador votou sobre o decreto das armas

Foi aprovado projeto pela suspensão Foram 47 votos a favor e 28 contra Texto segue pra análise da Câmara

 

 

O Senado derrubou nesta 3ª feira (18.jun.2019) o decreto que flexibilizou a posse, o porte e a comercialização de armas, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, que prometeu as medidas durante a campanha presidencial.

A Casa aprovou o Projeto de Decreto Legislativo 233/2019 que sustou as mudanças definidas pelo decreto presidencial. Agora, o projeto segue para análise da Câmara.

Foram 47 votos pela suspensão do decreto e 28 pela continuidade. Saiba como votou cada senador:

senador partido Estado voto
Acir Gurgacz PDT RO ausente
Alessandro Vieira CIDADANIA SE sim
Alvaro Dias PODEMOS PR sim
Angelo Coronel PSD BA não
Antonio Anastasia PSDB MG sim
Arolde de Oliveira PSD RJ não
Carlos Viana PSD MG não
Chico Rodrigues DEM RR não
Cid Gomes PDT CE sim
Ciro Nogueira PP PI não
Confúcio Moura MDB RO sim
Daniella Ribeiro PP PB sim
Dário Berger MDB SC não
Davi Alcolumbre DEM AP *
Eduardo Braga MDB AM sim
Eduardo Girão PODEMOS CE sim
Eduardo Gomes MDB TO não
Eliziane Gama CIDADANIA MA sim
Elmano Férrer PODEMOS PI não
Esperidião Amin PP SC sim
Fabiano Contarato REDE ES sim
Fernando Bezerra Coelho MDB PE não
Flávio Arns REDE PR sim
Flávio Bolsonaro PSL RJ não
Humberto Costa PT PE sim
Irajá PSD TO ausente
Izalci Lucas PSDB DF não
Jader Barbalho MDB PA ausente
Jaques Wagner PT BA sim
Jarbas Vasconcelos MDB PE sim
Jayme Campos DEM MT sim
Jean Paul Prates PT RN sim
Jorge Kajuru PSB GO sim
Jorginho Mello PL SC não
José Maranhão MDB PB sim
José Serra PSDB SP sim
Juíza Selma PSL MT não
Kátia Abreu PDT TO sim
Lasier Martins PODEMOS RS não
Leila Barros PSB DF sim
Lucas Barreto PSD AP não
Luis Carlos Heinze PP RS não
Luiz do Carmo MDB GO não
Mailza Gomes PP AC não
Major Olimpio PSL SP não
Mara Gabrilli PSDB SP sim
Marcelo Castro MDB PI sim
Marcio Bittar MDB AC não
Marcos do Val CIDADANIA ES não
Marcos Rogério DEM RO não
Maria do Carmo Alves DEM SE ausente
Mecias de Jesus PRB RR sim
Nelsinho Trad PSD MS não
Omar Aziz PSD AM sim
Oriovisto Guimarães PODEMOS PR sim
Otto Alencar PSD BA sim
Paulo Paim PT RS sim
Paulo Rocha PT PA sim
Plínio Valério PSDB AM sim
Randolfe Rodrigues REDE AP sim
Reguffe S/Partido DF sim
Renan Calheiros MDB AL sim
Renilde Bulhões PROS AL sim
Roberto Rocha PSDB MA não
Rodrigo Cunha PSDB AL sim
Rodrigo Pacheco DEM MG sim
Rogério Carvalho PT SE sim
Romário PODEMOS RJ sim
Rose de Freitas PODEMOS ES sim
Sérgio Petecão PSD AC ausente
Simone Tebet MDB MS sim
Soraya Thronicke PSL MS não
Styvenson Valentim PODEMOS RN sim
Tasso Jereissati PSDB CE sim
Telmário Mota PROS RR não
Vanderlan Cardoso PP GO não
Veneziano Vital do Rêgo PSB PB sim
Wellington Fagundes PL MT sim
Weverton PDT MA sim
Zenaide Maia PROS RN sim
Zequinha Marinho PSC PA não
*o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), estava presente, mas não participa da votação conforme previsto no regimento interno da Casa.
Apenas o PSL e o PSC entregaram todos os votos de suas bancadas a favor do Planalto. O MDB, partido do líder do governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho(PE), entregou 5 votos a favor do governo e 7 contra. O DEM, que tem lugar de destaque nos ministérios do governo, entregou apenas 33% dos votos para o Planalto.

Dois partidos do Centrão deram colaborações expressivas para o governo, apesar da derrota desta 3ª. O PP entregou 66,7% dos votos de sua bancada para o Planalto e o PSD 55,6%.

A oposição votou mais unida: PT, PSB e Rede deram todos os votos de suas bancadas a favor da derrubada do dispositivo. O PDT entregou 3 de seus 4 votos contra o Planalto.

partido bancada votos para manter decreto % para manter decreto votos para derrubar decreto % para derrubar decreto ausentes % ausentes e abstenções
MDB 13 5 38,5% 7 53,8% 1 7,7%
PSD 9 5 55,6% 2 22,2% 2 22,2%
Podemos 8 2 25,0% 6 75,0% 0 0,0%
PSDB 8 2 25,0% 6 75,0% 0 0,0%
DEM 6 2 33,3% 2 33,3% 2* 33,3%
PP 6 4 66,7% 2 33,3% 0 0,0%
PT 6 0 0,0% 6 100,0% 0 0,0%
PDT 4 0 0,0% 3 75,0% 1 25,0%
PSL 4 4 100,0% 0 0,0% 0 0,0%
Cidadania 3 1 33,3% 2 66,7% 0 0,0%
Pros 3 1 33,3% 2 66,7% 0 0,0%
PSB 3 0 0,0% 3 100,0% 0 0,0%
Rede 3 0 0,0% 3 100,0% 0 0,0%
PL 2 1 50,0% 1 50,0% 0 0,0%
PRB 1 0 0,0% 1 100,0% 0 0,0%
PSC 1 1 100,0% 0 0,0% 0 0,0%
sem partido 1 0 0,0% 1 100,0% 0 0,0%
total 81 28 34,6% 47 58,0% 6 7,4%

 

O decreto que flexibilizou a posse de arma foi assinado em 15 de janeiro de 2019. Já o decreto que flexibilizou o porte de arma foi assinado em 7 de maio –considerado inconstitucional pelas consultorias técnicas do Senado e da Câmara por permitir o porte de fuzis por civis. Em 22 de maio, Bolsonaro voltou atrás em relação ao porte de fuzis, carabinas ou espingardas para cidadãos comuns e modificou o decreto.

Apesar da mudança, a Consultoria Legislativa do Senado emitiu nota técnica classificando a nova versão do texto como também inconstitucional.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui