Câmara pede que deputados retirem “placas políticas” dos gabinetes

De um lado, parlamentares afixaram cartazes contrários a Moro e em homenagem a Marielle Franco. Do outro, pró-Bolsonaro e Lava Jato

 

A Câmara dos Deputados notificou 13 parlamentares a retirarem placas das portas de seus gabinetes. O motivo é que os deputados começaram a usar os cartazes como forma de transmitir mensagens políticas, e a Diretoria-geral da Casa entendeu que isso pode gerar conflitos entre partidos rivais.

Os textos, por exemplo, de um lado exaltam o presidente Jair Bolsonaro e a operação Lava Jato; do outro, pedem Lula Livre e homenageiam a ex-vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSol), assassinada em 2018, com o motorista, Anderson Gomes. Segundo a Câmara, os cartazes podem confundir e “colocar em risco as pessoas que circulam nos edifícios da Casa”.

A reportagem percorreu os corredores da Câmara, nesta sexta-feira (28/06/2019), mas só encontrou placas contrárias ao ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, e em memória de Marielle Franco. A hipótese é de que, após a notificação, os parlamentares tenham retirado as outras placas das portas.

Segundo a assessora da deputada Áurea Carolina (PSol-MG) Mara Karina, o partido colocou as placas (foto em destaque) em fevereiro, pelo andamento das investigações e pelo início do governo de Bolsonaro, em protesto. Além de Áurea, outros deputados do PSol seguem resistentes a tirar as placas, como Sâmia Bonfim (SP) e Marcelo Freixo (RJ).

 

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui