Bancada federal vai à CLDF apoiar instalação da CPI da Pandemia

0
Subcomissão Permanente sobre Esporte, Educação Física e Formação de Categorias de Base no Esporte (CEEEFCB) realiza 3ª audiência pública interativa para tratar sobre o Plano Nacional de Esporte, com a participação, entre outros, do secretário especial do Esporte, e do diretor-geral do Comitê Olímpico Brasileiro. À mesa, em pronunciamento, presidente da CEEEFCB, senadora Leila Barros (PSB-DF). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

 

A senadora Leila Barros (PSB-DF) acompanhou parte da bancada do DF no Congresso Nacional na visita à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), nesta quarta-feira (26), para entregar um manifesto pedindo ao presidente da CLDF, deputado distrital Rafael Prudente (MDB-DF), a instalação da CPI da Pandemia. Embora já tenha o número necessário de apoiamento para ser instalada, a comissão ainda não saiu do papel. O requerimento está pronto para ser analisado há pouco mais de dois meses.

A senadora Leila destacou que a notícia da prisão da cúpula da Secretaria de Saúde do DF, nesta terça-feira (25), faz com que a sociedade brasiliense busque respostas. “A bancada federal tem feito cobranças por mais transparência na gestão dos recursos públicos federais encaminhados ao DF sistematicamente, mas não tivemos essas respostas. A CPI da Pandemia tem força para obter essas informações e ajudar nas investigações”, declarou a primeira senadora eleita pelo Distrito Federal. “Isso aqui não é um ato político. É um ato de preocupação. Não é brincadeira.”

A bancada federal foi recebida pelo vice-presidente da CLDF, deputado Rodrigo Delmasso (Podemos). De acordo com ele, nesta quinta-feira (27), o colégio de Líderes vai se reunir para debater a possibilidade de abertura da CPI da Pandemia.

O manifesto assinado pelos deputados e senadores destaca que há uma série de questões que precisam ser esclarecidas, tais como as compras e contratações feitas pela Secretaria de Saúde e o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), a falta de medicamentos e insumos e os gastos com os hospitais de campanhas.

O documento foi assinado pela senadora Leila e os senadores Izalci Lucas (PSDB) e Reguffe (Podemos), além das deputadas federais Paula Belmonte (Cidadania), Bia Kicis (PSL), Erika Kokay (PT) e Israel Batista (PV).

anuncio patrocinado
Anunciando...