Primeira Cooperativa de Créditos de Carbono do Brasil é criada na Caatinga 

DCIM100MEDIADJI_0015.JPG

 
Associação de Produtores de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga está sendo implantada no entorno do cânion do rio São Francisco, nas fronteiras de Alagoas, Sergipe, Bahia e Pernambuco

 
 Nesta semana, na cidade de Delmiro Gouveia – Alagoas, em reunião híbrida (on-line e presencial), foi criada a pioneira Associação de Produtores de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga. A Associação é composta por pessoas que possuem áreas preservadas no bioma Caatinga dos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe, e também técnicos comprometidos com o desenvolvimento de projetos de Crédito de Carbono Social – incorporando o conceito de justiça climática e abrangendo mecanismos de redução de desigualdades, economia regenerativa, mercado de carbono, serviços ambientais, recuperação de ecossistemas e proteção da biodiversidade. 
 
A articulação iniciou-se há um ano com Pedro Soares Neto (proprietário de áreas preservadas), Haroldo Oséias de Almeida (ambientalista) e Nilson Lopes Alves (engenheiro ambiental), residentes em Delmiro Gouveia, que convidaram Sérgio Xavier (articulador do Centro Brasil no Clima – CBC e ex-secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco) e Fabiana Couto (Diretora de Mudanças Climáticas da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas) para discutir formas de desenvolver modelos de participação de pequenos produtores rurais no emergente mercado de carbono global. 
 
Após discussões, reuniões e oficinas, com participação de dezenas de lideranças locais e especialistas de diversas áreas, ficou definida a criação desta inovadora cooperativa, que já desponta como uma referência que pode ser replicada em outros biomas do Brasil. A nova Associação terá apoio do Lab de Economia Regenerativa do rio São Francisco, que está sendo estruturado em Paulo Afonso – BA, no âmbito do Projeto HidroSinergia. 
 
A reunião de fundação contou com a participação de mais de 70 pessoas dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe. 
 
Na abertura da reunião, Haroldo Almeida, Sérgio Xavier, Fabiana Couto e Pedro Soares Neto falaram sobre os desafios e potencialidades da Associação, destacando a importância de ações cooperativas para a preservação do bioma Caatinga, o enfrentamento às mudanças climáticas e o desenvolvimento de uma nova economia inclusiva e regenerativa no semiárido. Em seguida, todos os participantes, em coro, declararam “Está fundada a Associação”; discutiram, ajustaram e aprovaram o Estatuto e elegeram a primeira diretoria, que terá dois anos para desenvolver e consolidar a iniciativa. 
 
Entre as prioridades iniciais destacam-se (1) Levantamento do estoque de carbono das áreas preservadas dos associados; (2) Modelagem do cálculo de captura de carbono, agregando valor social e mecanismos de justiça climática, visando redução de desigualdades; (3) Levantamento de áreas desmatadas para regeneração; (4) Construção do modelo colaborativo de gestão dos créditos de carbono e aplicação das respectivas receitas; (5) Articulação de compradores de créditos de carbono e de serviços ambientais, comprometidos com o desenvolvimento inclusivo e regenerativo do bioma; (6) Estudos (que serão desenvolvidos no Lab) para agregar diversos eixos de Economia Regenerativa, visando geração sustentável de renda e empregos verdes, como: Rede Cooperativa de Produção de Energia Solar, sementeira para produção e plantio de espécies nativas, ecoturismo, escolas de sustentabilidade e sistemas integrados de reciclagem; (7) Contribuir na difusão do conceito de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga e Justiça Climática.
 
 “A Associação está alinhada com os conceitos mais arrojados de desenvolvimento regenerativo e conseguiu reunir um conjunto impressionante de forças e de conhecimentos, tornando-se uma referência inspiradora para outros biomas do Brasil”, ressalta Sérgio Xavier, articulador do Lab de Economia Regenerativa. 
 
“A Associação é um passo muito importante para a valorização, reconhecimento e preservação do bioma caatinga”, enfatiza Haroldo Almeida, presidente eleito da Associação. 
 
Composição da primeira diretoria eleita: Diretor Presidente – Haroldo Oséias de Almeida (Delmiro Gouveia – AL); Diretor Vice-presidente – José Silva dos Reis (Canindé de São Francisco – SE); Diretora Secretária – Rossyna Pereira Santos Alcântara Accioly Barreto (Olho D’água do Casado- AL); Diretora Financeira – Elisabete Regina Silveira Cavalheiro (Maceió – AL); Diretor Técnico – Fernando Pinto Coelho – UFAL (Água Branca – AL); Conselho Fiscal: Pedro Soares Neto (Delmiro Gouveia – AL); Raimundo Nonato Gomes Junior (Delmiro Gouveia – AL); Valdilene Santana da Silva (Senador Rui Palmeira – AL); Conselho Fiscal Suplente: Marco Antonio Gomes da Silva (Arapiraca – AL); Edineide Nascimento Porfírio (Mata Grande – AL); Reginaldo Silva de Souza (Inhapi – AL). 
anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui