Como a GDPR afeta o marketing digital?

 

Com a chegada da internet, vieram também o Marketing de Relacionamento, os e-commerce e outras opções que há décadas atrás, nem poderíamos imaginar. Em contrapartida, o furto de dados também se tornou uma prática comum.

 

Como fazer para que clientes e usuários fossem protegidos? Pensando nisso, profissionais da área, juntamente com governos do mundo todo, se juntaram para criar o chamado GDPR. Quer entender melhor sobre isso e como ele afeta sua imagem? Então, vem com a gente!

 

O que é GDPR?

 

O GDPR pode ser considerado o conjunto de regras de proteção de dados mais eficaz do mundo. Se fizermos uma breve comparação, ele se tornou tão importante quanto um inversor de frequência para o controle de tensão. 

 

Ele aprimora a forma como as pessoas acessam as informações sobre elas e impõe limites ao que as organizações podem fazer com tudo isso. 

 

A forma final do GDPR surgiu após anos de discussão e negociações. Ele entrou em vigor em 25 de maio de 2018 e os países da Europa tiveram a capacidade de fazer pequenas alterações para atender às suas próprias necessidades. 

 

No Reino Unido, essa flexibilidade levou à criação da Lei de Proteção de Dados (2018), que substituiu a anterior, vigorada em 1998.

 

No Brasil, o Artigo 1º da Lei nº13.709/2018, cita que ela “dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural”.

 

Principais motivos pelo qual o GDPR afeta o marketing digital 

 

Caso seja responsável por uma empresa de purificador de ar, esse tipo de conteúdo é ideal para você. Para simplificar, o marketing digital envolve consiste em duas atividades principais:

 

  • Coleta de dados e criação de perfis: Essa coleta de informações relacionadas à interação com o cliente, tem como objetivo analisar o mercado e criar perfis exclusivos de clientes. 

 

O processamento para acompanhar as escolhas deles melhora a oferta de produtos com base nas necessidades específicas. Imagine que o cliente queira uma quantidade de fitas do Bonfim, por exemplo, esse processo vai auxiliar em itens semelhantes a esse.

 

O GDPR afeta o marketing digital pois, agora, precisa-se de autodeterminação informativa, inviolabilidade da intimidade, da honra e da imagem, a livre iniciativa, concorrência e a defesa do consumidor e os direitos humanos, destacados no livre desenvolvimento da personalidade, a dignidade e o exercício da cidadania pelas pessoas naturais.

 

  • Segmentação: Alcançar os indivíduos comunicando a oferta do produto. Isso pode assumir a forma de comunicações eletrônicas individuais (por exemplo, e-mail, SMS, ou outras mensagens instantâneas) ou até mesmo segmentação com base em grupos específicos.

 

Neste caso, o GDPR afeta o marketing digital, pois o titular tem direito ao acesso facilitado às informações sobre o tratamento de seus dados, que deverão ser disponibilizadas de forma clara, adequada e ostensiva acerca de, entre outras características previstas em regulamentação para o atendimento do princípio do livre acesso (Capítulo II, Seção I, Artigo 9º).

 

Essas e outras diferenciações modificaram os rumos pelos quais o marketing digital é gerido. Com isso dito, fica fácil perceber como a Lei Geral de Proteção de Dados foi e continua sendo fundamental para quem usa as redes sociais ou àqueles do ramo de prospecção industrial.

 

Esse artigo foi escrito pela equipe do Soluções industriais. Esperamos ter ajudado com essa postagem, caso tenham gostado, comentem e compartilhem em suas redes sociais.

 

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui