5G começa a funcionar no Brasil nesta quarta com estreia em Brasília

A capital é a primeira do Brasil a ter a tecnologia 5G standalone ativada; velocidades de conexão devem aumentar cem vezes

As empresas de telefonia já podem ativar a internet 5G no Distrito Federal. A autorização definitiva da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) começou a valer nesta quarta-feira (6).

Brasília serve como piloto para os processos de liberação das demais capitais por já contar com as condições operacionais necessárias, segundo a Anatel. A cidade é a primeira do Brasil a liberar o sinal de 5G.

A tecnologia 5G standalone permite o tráfego de dados cem vezes mais rápido que o padrão 4G por utilizar um espectro de rádio mais abrangente, o que permite que mais aparelhos móveis se conectem simultaneamente, com mais estabilidade do que as redes atuais. Além disso, a tecnologia favorece a uso de ferramentas inteligentes, interconexão de equipamentos e máquinas em tempo real.

O 5G deve impulsionar vários setores, além do de telecomunicações. “Essa tecnologia facilita a distribuição das redes inteligentes — responsáveis monitorar o tempo todo o sistema de geração, fornecimento e distribuição de energia elétrica no Brasil, desde indústrias até pequenos consumidores. É possível, com medidores inteligentes, monitorar os horários, o dimensionamento da rede, se houve queda, quando houve queda”, explica Octavio Brasil, gerente da empresa CAS Tecnologia, que atua na área de energia.

Grupo de acompanhamento

Na Anatel, a implementação do 5G é supervisionada pelo Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi). A equipe é integrada por representantes da Anatel, do Ministério das Comunicações, das empresas proponentes vencedoras dos lotes da faixa de 3,5 GHz, dos radiodifusores e das exploradoras de satélites.

O Gaispi criou uma “sala de guerra” na última segunda-feira (4) para solucionar possíveis interferências causadas pela implementação da nova tecnologia.

Uma delas é o fim do sinal de TV parabólica analógica. No DF, segundo a agência, há 3.341 antenas desse tipo. A Anatel fará a troca sem custo para os inscritos no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico).

Demais capitais

No início de junho, a Anatel adiou o prazo para a implantação do 5G nas capitais estaduais. A ativação das estações seria realizada em 31 de julho, mas acabou sendo adiada por 60 dias. Com isso, a tecnologia deve estar disponível para a população desses locais em 29 de setembro.
Nas outas cidades que não são capitais de estados, o cronograma previsto será mantido, com implementação gradual até 2029.

O adiamento foi definido em reunião do Conselho Diretor da Agência. Os técnicos avaliaram que o prazo adicional é necessário devido a uma “impossibilidade de entrega de equipamentos pela indústria”. O lockdown após um novo surto de coronavírus na China e limitações do transporte aéreo foram citados como impeditivos para o cumprimento da meta inicial.

O edital do Leilão do 5G dava abertura para possíveis adiamentos no cronograma inicial de 60 dias, quando constatadas dificuldades técnicas para a realização de atividades necessárias. Com os novos prazos, a liberação da faixa que permite a ativação do 5G também foi adiada para 29 de agosto. Antes, ela aconteceria no dia 30 deste mês.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.