Resíduo têxtil: como combater ou reduzir a produção na indústria

resíduo têxtil
Multi color fabric texture samples

O consumo desenfreado é motivo de preocupação nas agendas de sustentabilidade, a nocividade do excesso de produção e desgaste de recursos naturais abrange desde a extração de petróleo até o descarte incorreto de resíduo têxtil.

No ramo da moda, o consumismo está atrelado com tendências e não necessariamente com a relação entre oferta e demanda. 

Por esse motivo é comum ver pessoas com acúmulo desnecessário de peças de roupas, inclusive peças que não são usadas.

É verdade que a moda está em constante evolução, isso se expressa nas redes sociais por meio de influenciadores digitais e a grande quantidade de conteúdos relacionados à moda.

Embora seja positivo todo o movimento dentro da moda, é primordial que os produtores e consumidores estejam atentos em relação ao consumo desenfreado e os malefícios que os resíduos têxteis trazem ao meio ambiente.

A sustentabilidade que tem sido pauta de discussões entre empresas e países é o apelo para que a sociedade tenha mais cuidado com o meio ambiente, lembrando-na que os recursos essenciais não são renováveis, por isso, é preciso evitar desperdícios.

No tocante às relações corporativas e governamentais, as discussões são voltadas para encontrar alternativas para a diminuição do consumo desenfreado e propor soluções para a produção sustentável.

O desafio das empresas está em saber como correlacionar produção sustentável e preços acessíveis, tendo em vista que para uma produção ecofriendly e não nociva ao meio ambiente, os insumos corretos devem ser utilizados. Tais insumos possuem custo elevado.

Com a utilização de insumos de maior custo, o valor final de produtos será maior também, o que torna as peças de roupa sustentáveis menos acessíveis para a população e menos lucrativas para indústrias.

Pode-se observar esse cenário dentro do varejo em lojas de departamento, é mais barato comprar no atacado ao invés de comprar calcinhas avulsas de algodão, pois o fator é pertinente com os custos de produção em massa.

Analisando o processo produtivo, com maior volume é possível aproveitar uma “safra” de produção, economizando em insumos, recursos e mão de obra. 

Por esse motivo, vendas no atacado e em maior volume são a prioridade das indústrias.

Todavia, para preencher a fachada de loja de roupas com volume de peças o valor de produção é menor, porém, o preço pago pelo meio ambiente é alto. 

Com resíduos têxteis descartados incorretamente e massivamente são causados efeitos irreversíveis.

O que são resíduos têxteis?

Os resíduos têxteis são sobras de materiais usados na produção de peças, essas sobras não tem finalidade nenhuma senão o descarte.

É inevitável que durante a produção aconteça o descarte de sobras, mas existem medidas a serem tomadas para evitar irregularidades e evitar ao máximo o desperdício. A responsabilidade destas medidas é da indústria, que deve fazer a gestão.

A gestão de resíduos em suma não é suficiente nas indústrias em geral, por isso, em fachada de loja de roupas femininas certamente mais da metade das peças não é sustentável, sequer eco-friendly.

No entanto, com o avanço das tendências na internet em conformidade com o rápido acesso à informação, propagadores da sustentabilidade se posicionaram agressivamente frente à produção e descarte irregulares.

Por intermédio de conteúdos divulgados em sites e blogs, defensores da sustentabilidade se uniram num movimento social para pressionar empresas a se responsabilizar pela produção e descarte consciente.

A mesma pressão direcionou-se para a sociedade, dando informações acerca da realidade na origem das peças consumidas desenfreadamente e chamando atenção para a relevância de boicotar marcas que não se comprometem com o meio ambiente.

Devido a pressão gerada com os movimentos sociais, diversas indústrias assumiram a responsabilidade de fazer a boa gestão de resíduos e revisaram seu processo produtivo, procurando por alternativas sustentáveis.

Compromisso com a sustentabilidade

Assumir compromisso com a sustentabilidade nada mais é do que assumir compromisso com o próprio futuro, considerando que afetar o meio ambiente em verdade irá afetar a qualidade de vida de todos.

Considere que para a produção de uniforme feminino social moderno determinada indústria possui duas alternativas: usar insumos mais baratos que geram mais resíduos e descartá-los sem cuidado; usar insumos de maior custo e fazer o descarte correto.

As duas alternativas exigem o senso de gestão de resíduos. Se a gestão está voltada para somente a obtenção de lucro da indústria, a primeira alternativa sem dúvidas será escolhida.

A segunda alternativa está destinada para indústrias que não se preocupam em ter o lucro simbolicamente menor e visam ter soluções efetivamente sustentáveis.

A partir disso, para compreender o compromisso com a sustentabilidade na prática é preciso saber que o compromisso remete com as ações tomadas no cotidiano. 

Com o foco nas discussões sobre o meio ambiente em reuniões empresariais e governamentais, como forma de lobby, ou seja, engajamento, representantes de Estado e líderes corporativos afirmam o cumprimento com as boas práticas.

Todavia, quando observadas as ações no cotidiano, em verdade se pode notar que a sustentabilidade de fato não ocorre. 

O compromisso vai muito além de palavras, envolvendo:

  • Reestruturação de processos;
  • Procura por novas alternativas;
  • Realocação de investimentos;
  • Adoção da sustentabilidade no cotidiano.

O compromisso certamente exige disposição para estruturar processos e investimentos, por isso, é compreensível que as indústrias não se tornem sustentáveis a curto prazo. O processo é diferente da realidade das lojas.

Para uma loja se tornar sustentável, basta trocar seus fornecedores e reformar o local, com o uso de moveis planejados para loja de roupas feitos com materiais reutilizados. Para indústrias, auditorias devem acontecer para comprovar que há sustentabilidade.

Destinando investimentos

A tarefa de planejar e endereçar investimentos corretamente pode ser complexa, isso porque para a implementação das estratégias certas, é necessário ter conhecimento de processos, principalmente, quando o contexto é investimentos em indústrias.

O primeiro passo para direcionar investimentos para a gestão de resíduos é entender a sua importância não só para o ambiente, mas ter clareza que afetará o posicionamento no mercado.

Assim como marcas investem na confecção de embalagem personalizada para roupas com potencial de disparar em vendas no mercado, a devida importância pode ser aplicada dentro do processo produtivo.

Pontos a serem observados na produção são os insumos e a durabilidade da peça. Para seguir de acordo com a sustentabilidade, a produção deve adotar soluções que apresentem melhorias em insumos e dê mais durabilidade para as peças.

Tais pontos remetem para a apresentação de uma marca no mercado. Semelhante ao funcionamento nas vendas, em que há preocupação com a apresentação aos clientes, dispondo de adesivo de parede para loja de roupa como exemplo de investimento.

A apresentação das fábricas deve acontecer por meio da qualidade de seu produto, responsabilidade social e ambiental e as vantagens competitivas que suas peças venham a contar justamente pelos investimentos feitos.

Gestão de resíduos

A gestão de resíduos é a ferramenta que apoia indústrias a se tornarem mais sustentáveis, com a solução de descarte correto, com o uso da coleta seletiva. 

Para acontecer a coleta seletiva de maneira correta, a empresa deve se preocupar em separar os insumos corretamente e depois destiná-los para o descarte ou revenda para outras indústrias.

Além de gerar renda extra para a indústria, com uma boa gestão de resíduos é possível que a empresa consiga agregar valor ao seu posicionamento no mercado. 

O nicho de revenda de resíduos e insumos tem aumentado nos últimos anos como resposta às agendas de sustentabilidade, com isso os resíduos têxteis podem ser vendidos para outros segmentos como automotivo e esportivo.

Sabendo da dificuldade em estruturar uma produção sustentável, a gestão de resíduos é a alternativa para que as indústrias possam estar mais próximas de uma realidade sustentável e continuem a lucrar com isso.

Considerações finais

Pode-se concluir que as tendências na moda exigem que as empresas reajam rapidamente para não serem esquecidas no processo de compra e tampouco pelos consumidores, o que ocasiona no consumo e produção desenfreados.

O baixo investimento nos insumos para a produção torna as peças sensíveis, com pouco uso inclusive as peças têm sua vida útil finalizada no momento que o consumidor utiliza o ferro de passar roupa industrial, o que soma ao consumo excessivo.

O consumo desenfreado é uma questão a ser combatida junto com a sociedade, trabalho que vem acontecendo com o aumento dos movimentos sociais e de conscientização sobre a pauta.

Por outro lado, surge a temática da sustentabilidade para empresas. Sabendo que o processo produtivo por si só é complexo, então pressionar os produtores para a virada de chave rápida dentro do âmbito de sustentabilidade não é a alternativa ideal.

É recomendado que, paulatinamente, as indústrias comecem a adotar caráter sustentável. 

O investimento ideal nesse sentido é a gestão de resíduos têxteis, que está focado na coleta seletiva.

A coleta seletiva em indústrias permite que o descarte seja feito corretamente e agrega uma nova fonte de renda para as empresas. O mercado é conectado e por isso outras indústrias podem necessitar dos resíduos, como o automotivo e esportivo.

Contudo, a gestão de resíduos é a solução para fábricas que optam em aderir pela redução de resíduos têxteis e no combate ao descarte incorreto, beneficiando a pauta de sustentabilidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui