Logística: o que é, como funciona e 3 dicas de planejamento

logística

A gestão nas empresas é o ponto crucial para a garantia do bom funcionamento de procedimentos internos, bem como para viabilizar as entregas aos clientes. Neste sentido, a gestão logística apresenta-se como esfera essencial.

Para empresas que atuam na fabricação e distribuição de produtos diversos, como camisa sport fino, é importante ter em mente diferentes fatores para que a gestão de logística seja assertiva. 

Dito isso, são encontrados no processo etapas como:

  • Compra de insumos;
  • Controle de estoque;
  • Produção conforme a demanda;
  • Entrega aos clientes.

Essas são as etapas encontradas no escopo de trabalho de fábricas e distribuidoras, no entanto, é importante enfatizar que cada empresa possui suas particularidades e necessidades.

Assim, outras etapas no que tange à logística podem ser requeridas no contexto interno de empresas de segmentos distintos. 

Tais etapas correspondem às necessidades internas, objetivos específicos e também com o perfil e comportamento dos consumidores.

Uma oficina que almeja alavancar seus negócios por intermédio da implementação de novas soluções como o fornecimento de injeção direta gasolina comum, ressalta que é essencial dispor de um bom planejamento logístico.

Tendo em vista que a logística é responsável por conferir entregas de insumos, refletindo na capacidade produtiva e de prazos, é imprescindível focar no desenvolvimento, para que esta esteja alinhada com as metas propostas.

O que é logística?

Entende-se por logística a parte administrativa de uma empresa responsável pelo planejamento, execução e distribuição de produtos diversos, como o piso cimentício drenante.

O escopo abordado pela pauta da logística abrange majoritariamente as etapas de transporte e armazenamento, com o intuito de garantir que os insumos sejam entregues para a produção e os produtos entregues aos clientes.

No cenário atual, boa parte do desafio das empresas é conciliar o planejamento da cadeia de suprimentos em detrimento dos prazos de produção e entrega. Desde o ano de 2019 foi imposto uma realidade de crise no ramo da logística a nível mundial.

O principal gatilho para o acometimento da crise no ramo da logística é a falta de containers, culminando no aumento de fretes por todo o mundo. Aliás, além do aumento de fretes, há pouca disponibilidade de espaço nos containers.

Dado o cenário repleto de desafios, contar com o planejamento de logística é uma ação amplamente necessária para o bom andamento dos negócios.

Em adição, cabe destacar que o planejamento é uma etapa crucial para empresas dos mais variados segmentos, englobando não só o contexto de distribuição de produtos, como também a prestação de serviços.

Partindo desse pressuposto, o relato de uma empresa prestadora de serviços de portaria 24 horas que abarca a importância da elaboração de um plano de ação estratégico, está em concordância com a recomendação de especialistas.

Sabendo os impactos que a cadeia de suprimentos e a logística como um todo surte no fluxo de trabalho de fábricas e distribuidoras, fazer uma boa gestão com o planejamento adequado é essencial.

Como funciona na prática?

Considerando que a logística é a esfera que analisa e administra o processo de compra, produção, controle de estoque e entregas, seu funcionamento na prática deve ser compreendido como o reflexo do operacional de fábricas e distribuidoras.

Além disso, a gestão logística se divide em diferentes etapas, sendo elas as primárias e secundárias, ou seja, a divisão é feita com o respaldo das prioridades processuais necessárias para a comercialização de etiqueta de controle colorida.

As atividades primárias da logística condizem com a ação de organizar o transporte, efetuar a gestão de estoque bem como gerenciar o processamento de pedidos.

Por sua vez, as atividades secundárias de logística agem diretamente nas etapas de armazenagem, além de propor os parâmetros ideais para o manuseio de materiais e embalagens e também na gestão de produtos como um todo.

Ter a clara definição do limite de abordagem de cada etapa é essencial para uma empresa entregas expressas, pois auxilia no entendimento das três principais fases contempladas pela logística.

Em outras palavras, isso quer dizer que ao dispor do conhecimento das atividades primárias e secundárias de logística, uma empresa está apta para dar continuidade nas fases de suprimentos, produção e distribuição de forma assertiva.

Outro aspecto importante a ser frisado é que as atividades e fases da pauta em questão são encontradas por empresas de diversos segmentos e portes que atuam no fornecimento de produtos. 

As empresas prestadoras de serviço lidam com uma experiência processual divergente, já que agem diretamente com a entrega de experiências e atividades e em suma não necessitam da logística de suprimentos.

Entenda a importância da logística nas empresas

Pelo fato de impactar o andamento processual das organizações em termos de compra de insumos, capacidade produtiva e desempenho em função dos prazos propostos pelos clientes, a logística é um ponto-chave para o êxito organizacional.

Afinal, ao dispor de mecanismos para o desenvolvimento da gestão logística de maneira descomplicada, a empresa está corroborando para a otimização de sua eficiência operacional e aprimorando a experiência do cliente.

Ao analisar o cenário do mercado brasileiro como um todo, pode-se notar que o dinamismo encontrado nas relações de oferta e demanda vem se modificando com intensidade, como um efeito das oscilações macroeconômicas e do livre-comércio.

O livre-comércio culmina no fim de oligopólios e monopólios, dando melhores condições de compra para o consumidor, já que este possui diferentes alternativas de fornecedores e pode optar pelo fechamento com aquele que efetivamente atende às suas expectativas.

Conhecendo os desafios múltiplos de mercado, para garantir o sucesso comercial com as vendas de rebolo de esmeril para furadeira, a empresa precisa focar no encantamento de clientes, com o intuito de fazer frente à concorrência. 

Para enriquecer a vivência obtida pelos clientes durante o momento de compra, as empresas e marcas devem contar com o apoio da gestão logística. 

Indo ao encontro das tendências do mundo corporativo, é válido ainda o uso da tecnologia para conferir maior dinamismo nas atividades de gestão.

Como fazer o planejamento?

O planejamento é a ação necessária para quem almeja atingir com sucesso as metas e objetivos propostos. Aliás, previamente à tomada de decisão, trabalhar na elaboração de um planejamento é preciso.

Para que seja verdadeiramente assertivo, o planejamento deve contar com os indicadores e métricas da realidade contextualizada, ou seja, contar com os parâmetros e etapas a serem percorridos para o atingimento de metas.

É válido ressaltar que efetuar o planejamento é uma ação indicada para empresas dos mais variados segmentos, incluindo as que atuam na distribuição de produtos e na prestação de serviços, como projetos de reforma de fachada comercial.

Por intermédio do planejamento são levantadas as adequações necessárias, ferramentas e recursos para viabilizar o atingimento dos objetivos.

Correlacionando com o âmbito da logística, o planejamento na pauta reflete na delegação de diretrizes essenciais para o cumprimento das atividades de produção e entrega. 

1- Logística de suprimentos

A gestão logística no que tange aos suprimentos corresponde à etapa de planejamento de compras de insumos e matérias-primas para garantir a capacidade produtiva. 

Em determinados contextos, engloba ainda a compra de materiais básicos para empresas.

Visando agregar na construção de um planejamento efetivo, o tratamento ideal para a cadeia de suprimentos deve levar em consideração questões como a demanda de pedidos e os custos internos da empresa.

Como método de redução de custos, é essencial estar alinhado com outros departamentos para validar as efetivas matérias-primas a serem adquiridas. Como complemento, focar no bom relacionamento com fornecedores auxilia na concessão de descontos.

2- Logística de produção 

A gestão de logística no tema de produção é a etapa que condiz com o gerenciamento das atividades laborais propriamente ditas dentro de uma fábrica. 

Neste sentido, são validados os procedimentos de montagem de produtos, dando foco para a manipulação de matérias-primas. O planejamento deve demonstrar aos colaboradores métodos que permitam o aumento de produtividade. 

Vislumbrando agregar com a etapa de produção, durante o momento de planejamento da logística de produção, é recomendado delegar treinamentos acerca da manipulação e embalagem para diminuir os prejuízos.

3- Logística de distribuição

O planejamento da logística de distribuição, por fim, trata da intersecção entre as etapas de produção e entregas diretas aos clientes.

Precisam ser desenvolvidos métodos que permitam o alinhamento entre os prazos de entrega com a capacidade produtiva, como forma de maximizar a experiência dos clientes.

A recomendação é que as empresas invistam no uso de ferramentas e soluções inteligentes, isto é, contem com a tecnologia para o melhor gerenciamento, incluindo neste sentido o controle de estoque e pedidos.

Considerações finais

Sendo assim, a logística é uma área essencial dentro de fábricas e distribuidoras, considerando que é nela que acontecem as atividades operacionais capazes de conectar as negociações e fechamentos com as entregas propriamente ditas.

Contudo, para efetuar uma gestão logística assertiva, as empresas devem focar no desenvolvimento de planejamento assertivo, abordando as três principais atividades de logística e alinhando os prazos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui