Pronto-socorro do HRT tem 90% das obras concluídas

UNE quer trazer congresso bienal de estudantes para Brasília
17 de abril de 2019
DFTrans disponibiliza linhas de ônibus especiais para Morro da Capelinha
17 de abril de 2019

Pronto-socorro do HRT tem 90% das obras concluídas

Ambientes foram readequados e novas rotinas de trabalho trouxeram melhorias no atendimento

O pronto-socorro do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) está com 90% das obras concluídas. Com investimentos da ordem de R$ 300 mil, a modernização do espaço, feita por meio do SOS DF Saúde, contou, dentre outras coisas, com a troca de instalação elétrica, recuperação de paredes, pintura e colocação de bate maca. Nesta reta final da reforma, os consultórios passarão por intervenções que deverão ser concluídas em até 40 dias.

“Agora temos um ambiente de trabalho mais organizado, gerando economia de tempo, que é o que temos de mais precioso quando se trata de salvar vidas”, destacou a superintendente da Região de Saúde Sudoeste, Lucilene Florêncio.

A manutenção foi iniciada no mês de janeiro, ocasião em que um curto-circuito causou princípio de incêndio na unidade. Durante esse período de obras, o atendimento não foi paralisado e os pacientes internados no pronto-socorro foram remanejados para outras áreas dentro da própria unidade, sem prejuízo ao tratamento.

Entre as novidades do pronto-socorro estão a criação de uma sala de prescrição, isolamento da Ala Vermelha – unidade onde ficam os pacientes mais graves dotada de equipamentos semelhantes ao de uma Unidade de Terapia Intensiva – e a reformulação da recepção, que ganhou novo balcão de atendimento. Agora, os pacientes que já estão classificados ficam separados daqueles que ainda aguardam pela triagem.

“Além da reforma física, também realizamos novo treinamento para os servidores, fazendo correções nos processos de trabalho que, assim, estão podendo avançar na nova dinâmica. Já identificamos melhorias no fluxo do paciente, o que faz com que este permaneça o menor tempo necessário dentro do hospital”, frisou o diretor do HRT, Sávio Ananias Agresta.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *