Dengue: conheça os sintomas da doença e como ela é tratada

Abono do PIS-Pasep sai hoje para os nascidos em maio e junho
14 de março de 2019
24 horas após tragédia, Suzano se prepara para velórios e enterros
14 de março de 2019

Dengue: conheça os sintomas da doença e como ela é tratada

Virus diseases transmitter. Mosquito silhouettes. Concrete textured surface

Transmitida pela picada do Aedes Aegypti, a infecção acontece, principalmente, nos meses de verão e no período de chuva

 

A dengue é uma doença infecciosa causada por vírus (DENV 1, 2, 3, 4 ou 5), e é transmitida pela picada do mosquito fêmea do Aedes Aegyptiespecialmente no verão e nos períodos de chuva. No Brasil existem os quatro primeiros tipos da doença.

Os sintomas da dengue incluem febre, cansaço, dor de cabeça, dor no fundo dos olhos. Não há tratamento específico, sendo recomendado repouso, analgésicos, anti-térmicos e manter-se bem hidratado. No entanto, algumas pessoas podem desenvolver uma forma mais grave da doença, chamada dengue grave – a dengue hemorrágica, caracterizada por vazamento vascular, hemorragia grave e falência de órgãos, sendo potencialmente fatal.

O diagnóstico para a dengue é feito baseado nos sintomas apresentados, além de exames laboratoriais. Caso surja febre acompanhada de dois ou mais sintomas, é recomendado ir ao pronto-socorro para exames e iniciar o tratamento.

Existem, até o momento, cinco tipos de dengue, mas os tipos presentes no Brasil são dengue tipo 1, 2 e 3 — o tipo 4 é mais comum na Costa Rica e Venezuela, e o tipo 5 (DENV-5) foi identificado em 2007 na Malásia, mas sem casos registrados no Brasil. Todos os cinco tipos de dengue causam os mesmos sintomas.

É possível ser contaminado com a dengue mais de uma vez, desde que seja de outro tipo. Nesses casos, há maior risco do desenvolvimento de dengue hemorrágica. A variação da doença está relacionada à reação exagerada do organismo ao vírus e, por isso, uma segunda exposição é mais grave, podendo levar à hemorragia interna e à morte se não for precocemente tratada.

Como é feito o diagnóstico

1. Exame físico
São indicativos de dengue clássica:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Dor no fundo dos olhos;
  • Dificuldade para movimentar as articulações;
  • Dor muscular em todo o corpo;
  • Tonturas, náuseas e vômitos;
  • Pintinhas vermelhas pelo corpo com ou sem coceira.

Já no caso da dengue hemorrágica, os sintomas incluem manchas vermelhas na pele, hematomas e sangramentos frequentes do nariz ou gengivas.

Os sintomas surgem normalmente de quatro a sete dias após a picada do mosquito infectado pelo vírus e têm início com febre acima de 38ºC que depois de algumas horas é acompanhada por outros sintomas. Por isso, na suspeita de dengue, é importante buscar ajuda médica para que sejam feitos exames mais específicos para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento rapidamente. Em casos mais graves, a dengue pode afetar o fígado e o coração.

2. Prova do laço
É um tipo de exame rápido que verifica a fragilidade dos vasos sanguíneos e tendência a sangramento, sendo muitas vezes realizado em caso de suspeita de dengue clássica ou hemorrágica. É só interromper o fluxo sanguíneo no braço e observar o aparecimento de pequenos pontos vermelhos: há mais risco de sangramentos quanto maior a quantidade de sinais.

Apesar de fazer parte dos exames indicados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para diagnóstico da dengue, a prova do laço pode fornecer resultados falsos quando a pessoa está fazendo uso de alguns medicamentos ou se encontra na fase pré ou pós menopausa.

3. Teste rápido
O teste rápido para identificar dengue está sendo cada vez mais utilizado para fazer o diagnóstico, pois demora menos de 20 minutos para identificar a doença e há quanto tempo ela começou. O exame é gratuito e pode ser feito nos postos de saúde.

4. Isolamento do vírus
Esse exame tem como objetivo identificar o vírus na corrente sanguínea e estabelecer qual o sorotipo. Essa ação permite o diagnóstico diferencial para outras doenças causadas pela picada do mesmo mosquito e que têm sintomas semelhantes, além de permitir que o médico inicie um tratamento mais específico. O isolamento é feito por meio da análise de uma amostra de sangue, que deve ser coletada assim que surgirem os primeiros sintomas.

5. Testes sorológicos
O exame tem como objetivo diagnosticar a doença por meio da concentração de imunoglobulinas no sangue. A concentração do IgM aumenta logo que há o contato da pessoa com o vírus, enquanto o IgG aumenta depois, mas ainda na fase aguda da doença e permanece em quantidades elevadas no sangue, sendo, portanto, um marcador da doença.

Os testes sorológicos normalmente são solicitados como forma de complementar o exame de isolamento do vírus e o sangue deve ser coletado cerca de seis dias após o início dos sintomas.

6. Exames de sangue
O hemograma e o coagulograma também são exames solicitados pelo médico para diagnóstico da dengue, principalmente da dengue hemorrágica. No hemograma normalmente são verificadas quantidades variáveis de leucócitos. Além disso, normalmente é observado o aumento do número de linfócitos (linfocitose) com a presença de linfócitos atípicos.

O coagulograma, que é o exame que verifica a capacidade de coagulação do sangue, normalmente é solicitado em caso de suspeita de dengue hemorrágica e pode indicar que a hemostasia (processo natural do corpo que regula o fluxo sanguíneo) não está acontecendo conforme deveria.

7. Exames bioquímicos
Os principais exames bioquímicos solicitados são a dosagem de albumina e das enzimas hepáticas TGO e TGP, indicando o grau de comprometimento do fígado e sendo indicativo de estado mais avançado da doença.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *