Novo espetáculo da Armazém Companhia de Teatro estreia em setembro!

0
Armazém Companhia de Teatro apresenta
 
PARECE LOUCURA MAS HÁ MÉTODO – A DOIS

A experiência teatral online que esteve em cartaz durante seis meses na temporada 2020, assistida por mais de sete mil internautas de todo território brasileiro e de 12 países, ganha uma instigante e mais desafiadora continuação. Estreia dia 4 de setembro!

“Parece loucura mas há método – A Dois” é o mais novo projeto da Armazém Companhia de Teatro. É um espetáculo independente e original e, ao mesmo tempo, um aprofundamento na pesquisa feita pela companhia como resposta aos tempos de pandemia. Num tablado digital, quatro duplas de personagens shakespearianas (Cássio e Brutus; Tróilo e Cressida; Ângelo e Isabela; Hal e Falstaff) se enfrentam num jogo de possibilidades dramáticas, sendo tudo conduzido pelas intervenções de um Mestre de Cerimônias. A partir de cenas emblemáticas das peças Júlio César, Tróilo e Cressida, Medida por Medida e Henrique IV, o público é convidado a decidir, por meio de uma enquete virtual, que personagens e história quer continuar acompanhando. Os personagens se apresentam em diálogos, em duelos de dupla contra dupla. Ou seja, a peça começa com 8 personagens, quatro saem vencedores e, novamente se enfrentam em duplas. Os dois personagens escolhidos pelo público são os vencedores do dia. É teatro de jogo, que tira o espectador de uma posição passiva e o coloca no centro da decisão. No elenco estão Bruno Lourenço, Charles Fricks, Isabel Pacheco, Jopa Moraes, Kelzy Ecard, Liliana de Castro, Ricardo Martins, Patrícia Selonk, Simone Mazzer e Vilma Melo. A música é de Ricco Viana e o roteiro é de Jopa Moraes e Paulo de Moraes.

– A empatia da plateia com cada narrativa desenha o esqueleto do nosso espetáculo, que é sempre um jogo diferente a cada dia. Além da participação ativa do público, o grande diferencial de “Parece loucura mas há método – A Dois” é que os atores e atrizes não têm personagens definidos. A distribuição dos personagens é sorteada à vista da plateia, no início da representação –, comenta o diretor Paulo de Moraes.

Em 2020, quando a Armazém montou Parece Loucura Mas Há Método o que estava em foco era o modo primoroso com que Shakespeare cria pessoas a partir de palavras. As personagens de Shakespeare, livres artistas de si mesmos, expunham a vastidão de suas personalidades na forma de solilóquios e monólogos e se enfrentavam em embates um a um. A individualidade dos personagens era o combustível do nosso jogo. Agora, nesse novo espetáculo, entra em cena a natureza profundamente dialética do teatro shakespeariano. Seus grandes temas – a busca pela verdade, o assombro da paixão, a manipulação política – continuam presentes, mas são articulados em pares, a partir da colisão de ideias. Gregos e Troianos, um príncipe e seu bobo, a pátria ou a inimizade do povo. Os diálogos de Shakespeare, feitos de infinita poesia, além de um senso tragicômico sem igual, ressaltam perspectivas em conflito. Mas o dramaturgo nunca perde de vista que a mudança é uma possibilidade que brilha – com maior ou menor força – para todos.

– Shakespeare é o mundo. São personagens muito diversos, com visões sobre a vida muito diferentes entre si. Mas nessa montagem, o grande desafio dos atores e atrizes é se deixar ser surpreendido e trocar de personagem e também de parceiro de cena a cada representação, o que cria uma infinidade de possibilidades e pede uma concentração muito grande deles para se entregarem ao jogo a partir de perspectivas tão distintas. E, como cada ator está em sua própria casa e precisa fazer de cada canto o seu palco, um corredor da casa pode se transformar num acampamento romano, ou um quarto num palácio troiano. É um teatro de jogo que tira o espectador de uma posição passiva (já que ele decide o destino dos personagens) e solicita dos atores uma abertura grande para o inesperado –, conclui Moraes.

Mais de sete mil internautas de todo território brasileiro e de 12 países

Na estreia da temporada online da versão de “Parece loucura mas há método”  em julho de 2020, Wagner Correa, crítico teatral e jurado dos Prêmios APTR e Botequim Cultural escreveu: “Magnífico experimento de teatro nas redes virtuais. Uma surpresa estética a busca do formato e da manipulação deste envolvente jogo cênico com a cúmplice participação do espectador. Com expectativa nova a cada performance. Uma saída provocadoramente inventiva no desafio e na resistência do teatro ao caos político e sanitário.”

Graças a internet, na temporada de 2020 “Parece loucura mas há método” foi assistido por mais de 7.000 internautas de todo território brasileiro – inclusive de cidades do interior onde o teatro não chega de forma presencial –, além da Alemanha, Chile, China, Dinamarca, Equador, Espanha, Estados Unidos, França, Portugal, Reino Unido, Suíça e Uruguai. Também participou da programação do FITA – Festival Internacional de Teatro de Angra, do Midrash Festival e do Niterói em Cena.

O título do espetáculo faz referência a uma fala do personagem Polônio, na Cena II do Ato II de Hamlet: “Embora seja loucura, há nela certo método.”

Ficha técnica

“Parece loucura mas há método – A Dois”
a partir de personagens da obra de William Shakespeare
Roteiro: Paulo de Moraes e Jopa Moraes
Direção: Paulo de Moraes
Elenco: Bruno Lourenço, Charles Fricks, Isabel Pacheco, Jopa Moraes, Kelzy Ecard, Liliana de Castro, Ricardo Martins, Patrícia Selonk, Simone Mazzer e Vilma Melo
Música: Ricco Viana
Design gráfico: Jopa Moraes
Colaboração artística: Carol Lobato
Assistente de produção: Malu Selonk
Produção: Armazém Companhia de Teatro
Assessoria de Imprensa: Ney Motta

Serviço

“Parece loucura mas há método – A Dois”
Estreia no dia 4 de setembro de 2021.
Temporada: sábados e domingos, às 20h. Até 26 de setembro.
Ingressos pela sympla.com.br/armazemciadeteatro
O espetáculo é assistido online, pelo Zoom.
Valor do ingresso: O público escolhe o valor que desejar pagar, de R$ 10 a R$ 200.
Duração: 70 minutos
Classificação: 12 anos

anuncio patrocinado
Anunciando...