Homem socorre vítima de assalto sem saber que ela é sua filha

0

A prima de Alessandra, Rafaela Kohani Aoki, disse em entrevista a TV Tribuna, que três suspeitos puxaram a vítima e simularam uma briga

 

Um assalto em Itanhaém, litoral de São Paulo, terminou com uma mulher morta. Alessandra Tomie Watanabe Kokubun Fagundes, de 41 anos, foi assaltada no último sábado. Seu pai avistou o crime e correu para socorrer a vítima, que levou tiros. O homem, no entanto, não sabia que se tratava de sua própria filha.

O roubo acontece em frente ao estabelecimento da família, que vendia comida. De acordo com o G1, ela estava estacionando o carro no local quando foi cercada pelos assaltantes, que anunciaram o crime.

A prima de Alessandra, Rafaela Kohani Aoki, disse em entrevista a TV Tribuna, que três suspeitos puxaram a vítima e simularam uma briga. “Na hora, eu não sabia que era ela, não tinha visto. O moço [criminoso] começou a gritar ‘tá doidona, tá doidona’, para acharem que era briga entre casal, que era o que todo mundo estava achando. Depois, parece que iam tentar ir para cima do moço, foi aí que ele pegou a arma e disparou para o alto”, contou.

Ela afirmou ainda que, no momento dos disparos, todos se jogaram no chão. Logo após, ela ouviu três disparos. Dois dos tiros ouvidos por ela acertaram Alessandra na cabeça e no abdômen.

Lúcia Watanabe Muniz, tia de Alessandra, contou que o pai foi socorrer a pessoa que havia sido baleada, sem saber que se tratava da filha. “Meu cunhado foi lá acudir a pessoa e, quando ele viu, era a filha dele. Ele não acreditou. Uma moça trabalhadora, guerreira e, ter acontecido isso com ela não é justo”, lamentou.

anuncio patrocinado
Anunciando...