Homem acusado de assédio é torturado e morto no interior de SP

0

A avó da jovem negou qualquer tipo de atitude desagradável por parte de Marcos com sua neta de 15 anos; entenda o caso

 

Em Itapetininga, no interior de São Paulo, um homem foi encontrado morto após se envolver em uma brincadeira de mal gosto com uma adolescente. Ele teria elogiado uma jovem de 15 anos que não gostou do gracejo e alegou estar sendo perseguida pelo rapaz. A família da vítima agora quer saber qual a relação do homicídio com as reclamações da adolescente. Entenda.

Marcos trabalhava como estoquista, não tinha inimigos e nem dividas. Ele estava se preparando para começar em um novo emprego quando desapareceu perto de onde morava, em Tatuí, no interior de São Paulo. O homem foi visto pela última vez ao sair da casa de uma amiga para ir visitar a mãe, na cidade vizinha de Itapetininga, mas não chegou na residência e nunca mais manteve contato com algum conhecido

Cerca de 11 dias após o sumiço, o carro dele foi encontrado abandonado, perto do pedágio de Boituva (SP), a 20 km de distância, mas não havia nenhum indício de crime. Na região, uma testemunha teria visto um homem sendo abordado por desconhecidos e, em seguida, sendo colocado em outro automóvel

Dois meses após o sumiço, trabalhadores rurais que estavam em uma plantação de cana perceberam uma cova rasa e identificaram um corpo. Por meio da arcada dentária do cadáver, foi possível fazer a identificação do estoquista

“A morte dele foi muito brutal”, desabafa William Domingues, irmão da vítima. “A boca amarrada para não escutarem o som do grito dele”.

O corpo de Marcos estava muito ferido, principalmente na região da cabeça. A perícia aponta que a causa da morte teria sido traumatismo craniano, mas antes de ser assassinado ele foi torturado. O estoquista foi encontrado com as mãos, pés e a boca amarrados

Para o irmão, a única suspeita sobre uma possível motivação do crime, envolve um elogio para a neta adolescente de uma amiga da vítima. William conta que Marcos fez uma brincadeira com a adolescente de 15 anos, que não gostou e começou a xingá-lo. Segundo o depoimento da menina, ela teria dito para algumas pessoas que estavam próximas, que o homem era um tarado e queria abusar dela

Segundo a família da vítima, a última pessoa conhecida que teve contato com ele prestou depoimento para a polícia quando ele estava desaparecido. A mulher, que é avó da menina, teria negado qualquer tipo de atitude desagradável por parte de Marcos com a jovem de 15 anos. O caso está sendo investigado desde o boletim de desaparecimento.

anuncio patrocinado
Anunciando...