Dirigir usando celular pode ser mais prejudicial que bebida alcoólica

O tempo de reação quando o condutor está ao celular é maior do que se estivesse alcoolizado

 

Um estudo feito pelo Ministério dos Transportes constatou que o celular associado ao volante pode ser mais prejudicial do que bebida alcóolica. A pesquisa aponta que o tempo de reação aumenta para 35% quando o motorista está utilizando um celular, ou seja, o condutor demora mais tempo para reagir a algum imprevisto. Mais do que o dobro do déficit de guiar um veículo sob influência de álcool, que é de 12%.
Os risco envolvendo o uso do celular ao dirigir não é segredo para ninguém, mas, mesmo assim, são registrados cerca de 1,3 milhão acidentes por ano relacionados ao uso do celular no trânsito, segundo pesquisa feita pelo Seguro Dpvat. Os dados obtidos pela pesquisa também mostram que 80% dos motoristas admitem que utilizam o aparelho ou outras tecnologias que geram distração enquanto dirigem.
Além disso, a infração por dirigir veículo utilizando telefone celular aparece nas primeiras colocações no ranking de multas. Os últimos relatórios estatísticos da coordenadoria de Registro Nacional de Infrações (Renainf) do Detran, apontam que, de janeiro a novembro de 2017, a infração por usar o celular enquanto dirige totalizou 1.607 ocorrências.
De acordo com o gerente de Fiscalização e Segurança e especialista em trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins (Detran – TO), capitão Geraldo Magela, usar o celular enquanto se dirige aumenta em 400% a possibilidade de se envolver em acidentes de trânsito, e o condutor precisa estar atento a vários fatores, como outros veículos na pista, pedestres, e  ciclistas atravessando, por exemplo. “É preciso estar atento a tudo o que acontece ao redor. No entanto, quando a atenção é dividida com o celular, o tempo de reação aumenta, fazendo com que o risco de acidentes também aumente”, alertou o gerente.

Punição

Manusear aparelho telefone celular enquanto dirige é considerada infração gravíssima, gera multa no valor de R$ 293,47 e o motorista recebe sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
A infração para o uso do celular ao volante era considerada média, mas, a pouco mais de um ano, o Código de Trânsito Brasileiro modificou o art. 252, que trata do uso do celular ao volante, e passou a considerá-la gravíssima.
O capitão Geraldo Magela destaca que a infração para o uso do celular ao volante é classificada em dois tipos: se o motorista for pego falando ao celular a infração é média; se for pego segurando o celular para uso de mensagens, ou checando rede social, a infração é gravíssima. O gerente do Detran do Tocantins também explicou as regras para o uso do celular para GPS, que deve estar em local fixo no painel do veículo.
A orientação do Departamento de Trânsito quanto ao uso do celular é que, se o telefone tocar ou chegar alguma mensagem, o certo a se fazer é parar o veículo, realizar a atividade e depois seguir.
anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui