Nota de solidariedade ao Padre Omar

0

 

– “Manifesto total apoio e solidariedade ao Padre Omarque no dia 11 setembro, foi impedido, pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade de ter acesso ao Santuário Cristo Redentor. 

Na ocasiãoo sacerdote da Igreja Católica estava indo realizar uma cerimônia do sacramento do batismo que estava previamente agendada. Saliento que por anos a Igreja Católica no Brasil e a Arquidiocese do Rio tem o espaço do Cristo Redentor com uma das maiores referências para as duas manifestações de fé e para eventos de cunho inter-religioso. 

Enquanto sacerdote que sou, endosso a importância das liberdades de cultos e manifestações de fé. Por isso, exijo das autoridades competentes o máximo de apuração sobre o caso na salvaguarda dos direitos religiosos.

 

Por Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos – Interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR)

 

Entenda o caso – Padre Omar foi barrado no acesso do Cristo Redentor quando chegava para celebrar o batizado na capela, que fica sob os pés da estátua. O sacerdote, crianças e familiares foram impedidos por seguranças na guarita de acesso ao Cristo, no sábado. Ressaltando que o Padre Omar Raposos é reitor do Santuário Cristo Redentor, que administra a capela e a estátua no Corcovado. O rito religioso foi tolhido por seguranças do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que faz a gestão do Parque Nacional da Tijuca, onde está o ponto turístico. O Padre tentava subir pela Estrada das Paineiras para celebrar um batizado aos pés do Cristo.

A equipe jurídica da Arquidiocese registrou, no início da tarde desta segunda, um boletim de ocorrência na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

anuncio patrocinado
Anunciando...