No DF um mega Susto geral os postos aumentam preços e gasolina se aproxima de R$ 7

0

Apesar de a Petrobras não ter mexido nos preços dos combustíveis, os consumidores do Distrito Federal estão levando um susto atrás do outro ao chegarem aos postos para abastecer seus carros. O valor da gasolina nas bombas aumentou mais de R$ 0,80.

 

No Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), em alguns postos, a gasolina passou de R$ 6,079 para até R$ 6,899, ou seja, quase R$ 7, um choque no bolso. No Setor de Indústrias Gráficas (SIG), o litro do combustível foi de R$ 6,289 para R$ 6,799. Em Águas Claras, o aumento foi de R$ 6,339 para R$ 6,699.

 

“Esse reajuste é injustificável”, diz o motorista de aplicativos Célio Antunes, 57 anos. “Não ouvi nada a respeito de aumento de preços por parte da Petrobras. Os postos não estão perdoando. Fazem promoções em alguns dias, mas, quando mudam os preços, o reajuste é muito maior do que o alívio que deram”, acrescenta.

 

Os combustíveis são, hoje, os maiores vilões da inflação, ao lado das contas de luz e dos alimentos. O trio está destruindo o orçamento das famílias. Não por acaso, o descontentamento com o governo só cresce. Não há quem dê conta de tanta carestia.

 

Há um movimento no Congresso, liderado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para que se aprove um mecanismo em que os preços da gasolina podem cair até 8%. O governo também fala na criação de fundo de estabilização dos preços dos combustíveis.

 

Enquanto, porém, tudo está no campo das promessas, os consumidores pagam alto para encher o tanque de seus veículos. Os dois maiores responsáveis pelo encarecimento dos combustíveis, o dólar e o barril do petróleo, continuam em disparada.

 

anuncio patrocinado
Anunciando...