Lula disse “Quem está na Presidência só perde a eleição se for incompetente”

O ex-mandatário está inelegível até 2030 por decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mas alimenta esperança de reverter a medida

O presidente Lula (PT) foi questionado em entrevista nesta quinta-feira (27) sobre a possibilidade de o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) voltar a disputar o cargo em 2026 e disse que não iria “vetar” uma candidatura adversária

O ex-mandatário está inelegível até 2030 por decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mas alimenta esperança de reverter a medida.

“Eu não veto candidato adversário. Se ele conquistar [a reversão da inelegibilidade], que seja. Se eu derrotei ele quando eu era oposição e ele situação, imagina agora. Vou mostrar para ele que quem está na Presidência [da República] só perde a eleição se for incompetente”, disse Lula em entrevista à rádio Itatiaia.

O presidente está em Belo Horizonte nesta quinta, em sua quarta agenda em Minas Gerais no ano. Desta vez, o mandatário irá prestigiar as duas prefeituras mais importantes do PT no estado, Contagem e Juiz de Fora, e também irá anunciar investimentos na capital na sexta-feira (28).

O presidente disse que não descarta ceder espaço para a candidatura de uma pessoa mais jovem em seu lugar, mas que não recusará a disputa pela reeleição caso ele seja o nome mais viável do “campo democrático”.

“Se todos os indicadores mostrarem que eu sou a única pessoa para derrotar o fascismo e a extrema direita, não tenho problema de ser candidato. Espero que até lá [2026] a gente tenha uma pessoa mais jovem, com disposição”, disse o presidente.

Lula também criticou Bolsonaro ao voltar a dizer que assumiu o país em uma situação “semelhante à da Faixa de Gaza, totalmente destruído”, como já havia afirmado em entrevista recente.

“Até em questão de ministério, nós refizemos o Ministério da Cultura, porque cultura é a coisa mais importante do país”, afirmou.

Sobre os pedidos de anistia aos envolvidos nos atos de 8 de janeiro, Lula disse não se pode precipitar a discussão. O presidente afirmou que não é contra a anistia, mas que é preciso terminar de apurar todas as suspeitas e que nem todos os envolvidos foram punidos.

“Precisamos terminar de apurar todas as denúncias do 8 de janeiro. Quando tiver todo mundo processado, ou livre de processo, aí tudo bem, podemos perdoar pessoas que estão presas há muito tempo. Anistia é para isso. Passei parte da minha vida brigando pela anistia e não vou ser contra, mas nesse caso eles nem foram condenados ainda. A gente ainda nem sabe sobre todos que praticaram o golpe. É preciso que a sociedade saiba quem tentou dar o golpe nesse país”, disse Lula.

Ele falou também: “Estamos vendo para essas pessoas voltarem para o Brasil, para dar o que elas merecem. Mostrar para elas o que é bom. Temos que apurar todas as denúncias, aí tudo bem, você pode perdoar. Não vou ser contra anistia, mas nesse caso eles nem foram condenados ainda.”

anúncios patrocinados
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.