CPI convoca Luciano Hang para depor na próxima semana

0

Empresário entrou na mira da CPI após as denúncias enviadas à comissão sobre a Prevent Senior

 

 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 vai ouvir o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, na próxima semana. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), informou aos senadores que Hang será ouvido na quarta-feira (29). O empresário entrou na mira da CPI após as denúncias enviadas à comissão sobre a Prevent Senior, incluindo a suposta alteração do atestado de óbito da mãe de Hang.

Apesar de já haver uma convocação de Hang, que foi aprovada no dia 30 de junho, a comissão aprovou um novo requerimento para chamar o empresário após pedido do relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

“Eu considero o depoimento dele importante, ele é um empresário importante no Brasil, membro destacado do gabinete paralelo. Nós temos conversas dele que são conversas absurdas sob qualquer contexto. Então, era muito importante que nós pudéssemos trazê-lo até o final dos nossos trabalhos”, afirmou o relator.

Nessa quarta, revelou que a CPI recebeu informações de que Regina Modesti Hang, mãe do dono das lojas Havan, teria feito uso de medicamentos sem eficácia contra a covid, como cloroquina, antes de morrer em decorrência de complicações da doença. Ela ficou internada em um hospital da operadora de saúde Prevent Senior, alvo de investigações da CPI, e teria começado a usar os remédios preventivos durante a internação na unidade da operadora, em São Paulo.

Em seu atestado de óbito, não há a identificação do falecimento por Covid-19. A CPI também recebeu a informação de que Hang pediu que o uso dos medicamentos por sua mãe durante a doença não fosse divulgado.

Durante a reunião desta quarta, Renan Calheiros classificou a tentativa de ocultar o tratamento da mãe do empresário com o chamado kit covid de “repugnável sob qualquer aspecto”. O senador alagoano afirmou ainda que a CPI comprovará a tentativa de ocultação.

“É uma farsa que será desmascarada aqui pela Comissão Parlamentar de Inquérito. Infelizmente, porque um filho que utiliza desta forma a sua mãe, que trata a covid em um hospital com medicamentos do ‘tratamento precoce’ – e nós temos comprovação de que ele recomendou a médicos: ‘olha, escondam que a minha mãe foi tratada com cloroquina para não desmerecer a eficácia do plano’. Isso é uma coisa macabra, escabrosa, reprovável, repugnável sob qualquer aspecto. Nunca imaginei que isso pudesse acontecer”, disse Renan nesta quarta.

Hang critica CPI
O empresa´rio Lujciano afirmou que tem “total confiança” nos procedimentos adotados pela operadora de saúde Prevent Senior e que fez tudo o que era possível para salvar a vida de sua mãe, Regina Modesti Hang. Ele negou que ela tenha sido submetida a tratamento preventivo contra a e disse que a morte dela tem sido usada a ataques pessoais contra ele.

“Lamento que um assunto tão delicado seja usado como artifício político para me atingir, pelo simples fato de eu não concordar com as ideias de alguns membros que fazem parte dessa CPI. Medem os outros pela própria régua. Só quem perde uma mãe sabe a dor que é”, disse.

O empresário destacou ainda que sempre deixou clara a causa da morte de Regina Hang em diversas manifestações públicas e nas redes sociais. “Ela tomava dezenas de medicamentos diariamente, por isso não fizemos tratamento preventivo, aquele realizado antes de contrair o vírus”.

Em nota enviada ao R7, Luciano Hang disse ainda que não vai ficar calado diante das acusações. “Qual é o limite para a maldade humana, para a falta de caráter, de escrúpulos? Quando não têm argumentos, partem para o ataque da honra, da família e da própria mãe. Não vou aceitar tanta canalhice quieto.”

anuncio patrocinado
Anunciando...