CLDF aprova quatro projetos de leis voltadas para as mulheres

Planaltina tem 1ª Mostra de Dança, com oficinas gratuitas e apresentações
14 de março de 2019
Empresa de TV por assinatura terá de indenizar por cobrança indevida
14 de março de 2019

CLDF aprova quatro projetos de leis voltadas para as mulheres

Projeto do deputado Leandro Grass (Rede) prevê criação de carro exclusivo para mulheres no BRT-Sul. Todos seguem para sanção do governador Ibaneis Rocha

 

 

No mês em que se comemora o dia internacional das mulheres (8 de março), quatro projetos de leis com foco no sexo feminino foram aprovados pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) nesta quarta-feira (13/3). Um deles, de autoria do deputado distrital Leandro Grass (Rede), prevê a criação de um carro exclusivo para mulheres no BRT-Sul durante horários de pico de segunda a sexta-feira (entre as 6h e as 9h e entre as 17h e as 20h). O PL 143/2019 recebeu 13 votos favoráveis e agora segue para sanção do governador Ibaneis Rocha.
Segundo o deputado, a ideia do PL surgiu depois de visitas. “Queremos garantir às mulheres um espaço de respeito à dignidade e individualidade de cada uma, além da diminuição do assédio nesse ambiente, o que, infelizmente, é frequente”, justificou. Ele prometeu ainda que a medida não trará ônus e que vai apoiar o DFTrans na implementação da proposta.
O plenário também aprovou hoje o PL 107/2019, de autoria do distrital Reginaldo Veras (PDT), que obriga a afixação de avisos sobre o número 180, Disque-Denúncia de violência contra a mulher. Os avisos deverão ser colocados em locais diversos, que incluem hotéis, pousadas, pensões, bares, restaurantes, clubes, salões de beleza e órgãos públicos. Assim como o PL 143, também segue para sanção do governador.

Inspirado em Marielle

O primeiro projeto de lei aprovado pelo distrital Fábio Felix (Psol) foi adaptado da lei nº 6.415/2018, do município do Rio de Janeiro e criado pela ex-vereadora Marielle Franco. O PL 222/2019 institui campanha permanente de conscientização e enfrentamento do assédio e violência sexual. Ele obriga que motoristas, cobradores, bilheteiros, fiscais e demais trabalhadores envolvidos no transporte público passem por capacitação e treinamento para identificar situações de assédio e orientar vítimas.
A proposta aprovada por unanimidade, com 15 votos favoráveis, também prevê a distribuição de cartilhas sobre assédio e violência sexual e a divulgação dos números de telefone dos órgãos responsáveis pelo acolhimento e atendimento das vítimas.
Além desses projetos,  mais seis propostas tramitam na CLDF relacionadas às mulheres. Entre elas, o PL 112, do deputado Martins Machado (PRB), que obriga o metrô a destinar dois vagões para mulheres e deficientes. O PL 28, do deputado José Gomes (PSB), prevê a criação de bancos de empregos para vítimas de violência doméstica.

Em tramitação

PL nº 028
Cria banco de empregos para mulheres vítimas de violência doméstica e familiar
Autoria: José Gomes (PSB)
PL nº 032
Garante à mulher igualdade nos valores das premiações relativas às competições desportivas no DF
Autoria: Eduardo Pedrosa (PTC)
PL nº 083
Cria o selo “Mulher Livre” para as empresas que contratem no mínimo 5% das vagas para mulheres em situação de violência doméstica ou em situação de vulnerabilidade social
Autoria: Leandro Grass (Rede)
PL nº 106
Proíbe de exercício de cargo, emprego ou função pública de livre provimento pessoa condenada por violência doméstica e familiar contra criança, adolescente, idoso e mulher
Autoria: Reginaldo Veras (PDT)
PL nº 112
Obriga o Metrô a destinar dois vagões exclusivos para mulheres e deficientes
Autoria: Martins Machado (PRB)
PL nº 161
Cria o dia da Policial Militar feminina
Autoria: Hermeto (MDB)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *