Transporte internacional: quais os países com a melhor logística?

A eficiência dos processos aduaneiros e a qualidade dos serviços logísticos são alguns dos fatores essenciais para avaliar o serviço de transporte de um país. A cada dois anos, a Unidade de Comércio Internacional do Banco Mundial divulga o Índice de Desempenho Logístico que aponta os países com o melhor serviço logístico pelo mundo.

Segundo a última edição, divulgada em 2018, os três países que mais se destacam são Alemanha, Holanda e Bélgica, respectivamente, na primeira, segunda e terceira colocação. O Brasil aparece em 59º lugar.

“Além possuir pequena extensão territorial, esses países europeus contam com malha ferroviária e fluvial muito desenvolvida e bem utilizada, além naturalmente da malha rodoviária que conta com rodovias amplas e numerosas”, explica o especialista em logística Luís Felipe Campos, que possui experiência no setor internacional  principalmente no trade Europa-América Latina.

A tecnologia também é um fator que deve ser ressaltado, já que esses países são muito avançados neste setor. Outro ponto importante é a cultura empresarial que trabalha com planejamento avançado de produção e exportação.

O excesso de demanda e escassa mão de obra faz com que esses países de maior destaque invistam também em tecnologia. Um exemplo, é o transporte interno de containers no porto de Roterdã, na Holanda, que é feito através de veículos autônomos, gerando maior fluidez e agilidade no carregamento dos navios.

“Somente localização geográfica não é suficiente para serem considerados os melhores do mundo, mas sim uma série de valores agregados. A forte economia desses países permite o investimento em setores estruturais como portos, aeroportos, estradas e ferrovias são os principais fatores”, afirma o especialista.

Fazendo um comparativo com o Brasil, as principais diferenças estão na infraestrutura e na burocracia. O Brasil não possui malha ferroviária significativa e possui poucos investimentos em redes fluviais. O alto custo para o transporte rodoviário e as longas distâncias acabam por encarecer e aumentar o tempo logístico.

“Para melhorar o desempenho logístico, o Brasil precisaria investir em infraestrutura, construir mais aeroportos, investir em tecnologia e diminuir a burocracia. Os processos muitas vezes geram um alto custo de demora muito grande, por falta de automatização dos sistemas de entrada do país”, conclui Campos.

anuncio patrocinado
Anunciando...