Brasil é o 4º país que mais avançou em energia solar fotovoltaica em 2021

Segundo apuração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) com base em dados atualizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a recente publicação da Agência Internacional de Energias Renováveis (Irena), a partir do portal Exame, o Brasil foi o quarto país que mais avançou na capacidade solar no ano passado considerando todo o mundo, atingindo 5,7 GW. Além disso, o país também alcança a 13ª colocação entre os países com capacidade instalada mais elevada.

A fonte solar encontra-se com 15 GW no país, com mais de R$ 78,5 bilhões de investimentos acumulados, além de mais de 450 mil empregos gerados desde o ano de 2012, fazendo com que seja evitada a emissão de 20,8 milhões de tonelada de CO2 na geração de energia elétrica. Também foi apontado que o país avançou uma casa no ranking mundial da fonte solar, atingindo na 13ª colocação de nações com a capacidade instalada de energia fotovoltaica mais elevada, com chance de estar entre os dez primeiros. Para isso, foi considerada a somatória das grandes usinas solares com os sistemas de geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos. O ranking de abril foi orientado segundo a potência do final do ano passado.

A Absolar também revelou que o país terminou 2021 com mais de 13,6 GW de potência operacional da fonte solar. Na liderança estão os seguintes países: a China (306 GW), Estados Unidos (93 GW), Japão (74 GW), Alemanha (58 GW) e Índia (49 GW).

Energia solar passa 15 gigawatts e mais de R$ 78,5 bilhões em investimentos no país

Ainda sobre o assunto relacionado à energia fotovoltaica, que inclui um distribuidor de energia solar, com informações da Absolar, a partir do portal Jornal do Oeste, o Brasil ultrapassou, em abril deste ano, a marca de 15 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, levando em conta usinas de porte elevado e sistemas de geração própria de energia elétrica em telhados, fachadas e pequenos terrenos. Segundo a associação, a energia solar ofereceu ao país mais de R$ 78,5 bilhões em novos investimentos e R$ 21,7 bilhões em arrecadação aos cofres públicos.

O CEO da Absolar aponta que o crescimento da energia solar no Brasil, a partir de usinas de grande porte, residências, pequenas empresas, prédios públicos e propriedades rurais, é essencial para o avanço social, ambiental e da economia brasileira. “A fonte ajuda a diversificar o suprimento de energia elétrica do País, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população”, diz. “As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos atualmente, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores”, complementa.

anuncio patrocinado
Anunciando...