Investimentos visam aumentar a eficiência no setor portuário

Estudo preparado pela ESPO (European Sea Ports Organisation) revelou que, nos próximos 10 anos, o volume de investimentos necessário para fazer frente às demandas estruturais e de gestão dos 84 complexos portuários europeus analisados supera os 80 bilhões de euros.

Tal qual na Europa, os portos brasileiros também têm pela frente oportunidades de contribuir para um crescimento expressivo do PIB do País, especialmente no que tange ao aumento da eficiência operacional e à ampliação de produtividade dos complexos portuários. Os gestores portuários – sejam públicos ou privados – correm atrás de soluções tecnológicas que possam ser implementadas, visando incrementar a sustentabilidade das operações, otimizar processos e criar ainda mais produtividade com a infraestrutura atual, e assim oferecer aos usuários dos portos serviços mais assertivos do ponto de vista operacional.

“Portos de grande porte precisam investir em resiliência, novas tecnologias e infraestrutura sustentável para assegurar a estabilidade dos mercados globais e a sustentabilidade da indústria de navegação,” enfatiza Martin Humphreys, Economista Head do Banco Mundial, na publicação do estudo “Container Port Performance Index (CPPI)”, uma realização das equipes do Banco Mundial e da S&P Global, que apresenta o rankeamento de 405 portos ao redor do mundo, baseado na questão de eficiência.

Investimentos focados na melhoria de eficiência operacional

O Ministro de Portos e Aeroportos anunciou no início deste ano que os investimentos para o setor aquaviário e portuário chegarão em R$ 78,5 bilhões até 2026. Segundo o Ministério, o montante envolverá novos arrendamentos, renovações de concessões, além dos investimentos nos terminais de uso privativo, o que possibilitará um crescimento ainda maior das movimentações.

De acordo com o Estatístico Aquaviário, compilado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), o setor portuário cresceu 5,2% no primeiro trimestre do ano, quando comparado ao mesmo período de 2023. Cargas conteinerizadas e granéis líquidos foram os responsáveis pelo crescimento no volume operado.

Os portos públicos movimentaram 104,4 milhões de toneladas no primeiro trimestre do ano, alta de 6,62% na comparação com o mesmo período de 2023. Já os terminais privados (TUPs) registraram aumento de 4,47% nos primeiros três meses do ano em relação ao mesmo período de 2023, com movimentação de 198,5 milhões de toneladas.

Se por um lado este cenário de crescimento indica o bom andamento da economia em geral, por outro, mostra o grande potencial de crescimento que se apresenta ao País, e que a velocidade do crescimento da economia brasileira dependerá em grande parte dos gestores portuários, que tenham a oportunidade de criar sistemáticas que resultem em ainda mais ganhos de eficiência operacional.

Quais tecnologias implementadas no país e no mundo resultaram nos melhores ganhos operacionais? Quais são as soluções que viabilizaram melhores performances? Qual modelo de gestão da inovação vem se mostrando mais eficiente para acompanhar os desafios que as novas cadeias logísticas formulam?

Estas e outras questões são o ponto focal da programação temática do Port Performance Summit Brasil 2024, evento a propor o encontro dos principais players do setor para juntos, analisar dados, inteligência de mercado, casos de sucesso e soluções tecnológicas para que os portos e terminais do setor possam fazer um benchmarking e avaliar os melhores caminhos para a busca contínua de operações mais produtivas, seguras, sustentáveis e eficientes.

“O setor portuário brasileiro, como em todos os mercados globais, está passando por uma fase de investimento intensivo, com o objetivo de atender a demanda cada vez maior do comércio global,” explica o Michael Fine, diretor da Double Down Live Marketing (DDLM), idealizadora e organizadora do Port Performance Summit Brasil, e “Os acertos na aplicação e na implementação das mais avançadas soluções tecnológicas é um dos fatores críticos que determinará a expressividade dos ganhos atingidos, através dos investimentos”.

Agendado para ser realizado nos dias 02 a 03 de outubro, no AMCHAM Business Center, em São Paulo (SP), o Port Performance Summit Brasil 2024 terá 16 horas de conteúdo, em uma intensa programação que reúne especialistas, líderes e formadores de opinião do setor do Brasil para uma imersão de casos de sucesso, palestras técnicas, painéis de discussão e um keynote internacional.  “Temos a expectativa de que a troca de experiência e o conteúdo apresentado possam contribuir para o planejamento estratégico ainda mais assertivo dos portos e terminais, fazendo com que a exportação e o PIB do país possam aumentar significativamente, através de um setor portuário cada vez mais eficiente, capacitado e produtivo”, continua o executivo.

A programação do evento é focada em quatro pilares no que tange ao crescimento dos portos e terminais, que são inovação, tecnologia, automação e digitalização, e inclui a participação das maiores referências no setor portuário no Brasil, bem como casos de sucesso do exterior.

O painel de discussão moderado pelo Roberto Paveck, Economista, sobre a “Desafios da transformação digital no setor portuário”, com a participação dos Adriana Martin, PhD, Diretora de Inovação e Transformação Digital do Complexo Industrial Portuário do Suape, Hibernon Marinho, Diretor de Operações do Porto do Itaqui, Vander Abreu, Diretor Comercial da iPORT Solutions, Adriano Gomes, Project Manager do CESAR e Thiago Veras, Principal Technical Manager do CESAR.

“O Port Performance Summit Brasil 2024 vem com a missão de proporcionar uma experiência essencial, um momento único de networking, benchmarking e aprendizagem para o setor portuário, onde as lideranças e os gestores de portos e terminais possam adquirir conhecimento que será utilizado para contribuir para a tomada de decisão mais assertiva, incentivar a inovação e incrementar as vantagens competitivas das suas empresas”, finaliza o diretor da organização do evento.

anúncios patrocinados
Anunciando...