Temendo desastre, MPDFT quer interrupção do trânsito na Barragem do Paranoá

Apex vai substituir funcionários comissionados por concursados
7 de fevereiro de 2019
Temporal provoca estragos, causa apagão e alaga avenidas no Rio de Janeiro
7 de fevereiro de 2019

Temendo desastre, MPDFT quer interrupção do trânsito na Barragem do Paranoá

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) ajuizou ação pública contra o Distrito Federal para impedir o tráfego de veículos na barragem do Paranoá. A pista liga a DF-001 (Estrada Parque do Contorno) e a DF-025 (Estrada Parque Dom Bosco), sendo uma opção muito utilizada para deixar ou chegar ao Lago Sul.

De acordo a 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema), o trânsito intenso no local pode provocar o rompimento da barragem. “O adensamento populacional, a falta de planejamento e a omissão dos réus por anos a fio causam a sobrecarga da estrada de serviço e põem em risco a integridade da barragem”, ressalta a ação.
No processo, está o pedido para que o Departamento de Estrada de Rodagens (DER) construa uma nova ligação entre a DF-001 (Estrada Parque do Contorno) e a DF-025 (Estrada Parque Dom Bosco), o que poderia deixar a estrada de serviço da barragem somente para trabalhos de manutenção da usina hidrelétrica.
A ação ainda exige uma liminar para impedir o Governo do Distrito Federal de instalar empreendimentos que aumentem o trânsito sobre a via de serviço. Assim, projetos como o Itapoã Parque, o Paranoá Parque e o Polo Tecnológico deveriam ter outros tipos de planejamento, que não sobrecarregassem o fluxo de trânsito no local.

Sinduscon fez alerta há um ano

Há um ano, pouco depois da queda do viaduto sobre a Galeria dos Estados, o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon) fez um alerta de que a barragem não era segura. Em nota, porém, a Secretaria de Comunicação do governo Rollemberg descartou o risco de acidente. “Não há risco de desabamento da barragem por conta do fluxo de veículos no local”, garantiu a pasta em nota.
Após a tragédia de Brumadinho (MG), no entanto, o GDF, agora sob gestão de Ibaneis Rocha, anunciou novas medidas de manutenção na barragem. Uma das preocupações expressas pelos técnicos foi justamente a circulação de veículos na via — cerca de 26 mil por dia. Para diminuir os impactos, a partir de 1° de março, o tráfego de caminhões será proibido no percurso. Além disso, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) iniciou reparos ao longo dos 630m da pista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *