A PF vai abrir o inquérito para investigar as grandes irregularidades no leilão do arroz promovido pelo governo

Empresas serão investigadas bem como a participação de servidores públicos no procedimento. A anulação do leilão resultou na demissão do então secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller

 

A Polícia Federal (PF) vai abrir ainda nesta quarta-feira (12/6) um inquérito para apurar suspeitas de irregularidades no leilão de arroz promovido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Serão investigadas empresas e a participação de servidores públicos no procedimento.

O certame foi anulado ontem por decisão do governo federal, após um suposto favorecimento das quatro empresas que venceram o certame. A suspensão do leilão resultou na demissão do então secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, diante de indícios de “incapacidade técnica e financeira de algumas empresas”.

A Foco Corretora de Grãos, uma das principais vencedoras do leilão, é do empresário Robson Almeida de França, que foi assessor parlamentar de Geller na Câmara e é sócio de Marcello Geller, filho do secretário.

Das quatro empresas que venceram a disputa, a maior compradora é de Macapá (AP) e tem como atividade principal a venda de leite e laticínios. Outra pertence a um empresário de Brasília que afirmou ter pago propina para conseguir um contrato com a Secretaria de Transportes do Distrito Federal.

Com o objetivo de conter uma eventual alta de preços ou desabastecimento do item, após as enchentes no Rio Grande do Sul, o governo federal promoveu a compra de 263 mil quilos importados de arroz. A União pretende fazer novo pregão, mas a data não foi definida.

anúncios patrocinados
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.