Sommelier ensina como harmonizar vinho e feijoada

Especialista em vinhos da Banca do Ramon dá dicas para escolher o vinho que mais combina com o sabor complexo e intenso do prato mais famoso da culinária brasileira.

 

Gilmar Koizumi/ Pixabay

 

A feijoada é um dos pratos típicos mais consumidos do Brasil. De acordo com uma pesquisa do Instituto Ipsos e Datafolha, realizada a pedido da 99 Food, 13% dos entrevistados em todo o país se lembraram do preparo à base de feijão preto, carnes e condimentos. No sudeste, a feijoada é ainda mais popular: 17% das pessoas afirma consumi-la com frequência.

 

Tradicionalmente acompanhada de cerveja ou caipirinha, a feijoada é uma comida regional que pode ter seu sabor acentuado quando servida com vinho. O sommelier Jamil Abdala, da Banca do Ramon – empório tradicional no Mercadão de São Paulo – ensina como harmonizar vinho e feijoada para criar uma rica experiência gastronômica.

 

Com nomes de peso como Mackenzie, SENAC e WSET no currículo, o profissional acumula 12 anos de experiência com vinhos, oferecendo informações detalhadas sobre os rótulos, o que ajuda os clientes a não só degustarem, como entenderem o que estão bebendo.

 

A harmonização vinho-comida enriquece a experiência gastronômica. Ela cria uma sinergia de sabores que deixa a refeição mais completa, equilibrada e satisfatória. “É uma prática que combina conhecimento, criatividade e apreciação dos sabores, tornando as refeições mais memoráveis e agradáveis”, explica Abdala.

Feijoada: prato típico do Brasil pode ser harmonizado com vinho

 

A feijoada é feita a partir do feijão preto, carnes bovinas e suínas, além de temperos como louro, alho e cebola. A receita foi originada a partir do “feijão gordo”, ensopado de leguminosa com toucinho e carne seca. O que torna a feijoada diferente é a adição de linguiças, legumes e carne de porco. O prato começou a ser difundido no Brasil principalmente a partir dos restaurantes e hotéis do Rio de Janeiro.

 

Harmonizar vinho com feijoada não é uma tarefa simples para quem não está habituado. A complexidade de sabores e texturas do prato deve combinar com um vinho que equilibre essas características: “Harmonizar vinho com feijoada pode ser desafiador, mas também é uma oportunidade de realçar a experiência gastronômica”, pontua Abdala.

Quais vinhos harmonizam com feijoada?

 

O sommelier Jamil Abdala explica que existem diferentes variedades de uvas e estilos de vinhos que combinam com esse prato. “Vinhos tintos são a escolha mais comum para harmonização com feijoada, pois sua estrutura e sabores ricos se complementam bem com a carne e o feijão”, explica. Abdala indica os vinhos tintos de corpo médio a encorpados, como  Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec, Syrah e o Zinfandel.

 

Outra dica é escolher um vinho tinto com boa acidez. “A feijoada tende a ser um prato gorduroso, e vinhos com boa acidez podem ajudar a equilibrar essa gordura. Um Pinot Noir, por exemplo, pode ser uma excelente escolha devido à sua acidez natural”.

 

Para dar um gosto ainda mais refinado, a melhor opção é o vinho envelhecido. “Se você quiser algo mais sofisticado, vinhos tintos envelhecidos, como um Bordeaux ou um Tannat, podem oferecer complexidade e elegância à refeição”, indicou Abdala.

Dicas para harmonizar vinho com feijoada

 

Uma dica para harmonizar vinho com feijoada é prestar atenção nas propriedades de ambos. A ideia da harmonização é dar equilíbrio entre os sabores e, para isso, é importante ficar atento na acidez e nos taninos. “A acidez do vinho pode cortar a gordura da carne e dos feijões, enquanto os taninos podem se harmonizar com os sabores defumados e picantes da feijoada”, explica Abdala.

 

Outra dica é ficar atento à temperatura de serviço, que varia de acordo com cada tipo de vinho. “Geralmente, vinhos tintos devem ser servidos a uma temperatura entre 16°C e 18°C, mas você pode preferir um tinto ligeiramente mais frio para contrastar com a temperatura quente da feijoada”, indica o sommelier. Um cuidado que parece simples, mas ajuda na harmonização de vinhos, é a escolha das taças adequadas. A opção certa consegue aprimorar a experiência gastronômica. “Use taças de vinho tinto com bojo mais largo para permitir uma maior oxigenação e liberação de aromas. Isso ajudará a realçar os sabores do vinho”.

 

A sequência de degustação é um fator essencial na harmonização de vinhos e comidas. A ordem correta permite maior riqueza de sabor e melhor experiência. “Comece degustando o vinho antes de saborear a feijoada para apreciar seus aromas e sabores. Em seguida, experimente a feijoada. Repita o processo e preste atenção como os sabores do vinho interagem com os da feijoada”, explica Abdala.

anúncios patrocinados
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.