Como as tecnologias de ponta estão permitindo que as plataformas de pagamento estabeleçam relacionamentos mais profundos com os clientes

* Por César Garcia, CEO da OneKey Payments

Quer saber o futuro dos pagamentos digitais? Duas palavras: ‘deep payments’. E o que são deep payments? Simplificando, trata-se de  uma ferramenta que usa tecnologias de ponta para estabelecer relacionamentos mais profundos com os clientes. Vou explicar por que isso é importante e como podemos tornar uma realidade.

Quando você trabalha em uma indústria altamente dinâmica como as plataformas de pagamento digital, muitas vezes se vê inundado por palavras da moda e histórias que promovem novas tecnologias. Pode ser difícil discernir quais dessas tecnologias são realmente revolucionárias e quais são irrelevantes. Mas, com a combinação certa das tecnologias mais avançadas disponíveis hoje, podemos oferecer um novo tipo de serviço aos nossos clientes instantaneamente: mais seguro,  rápido, amigável e fácil de usar. Através dessa entrega e serviço impecáveis,  permitimos que nossas plataformas de pagamento formem relacionamentos mais profundos com os clientes do que jamais imaginamos.

Com o advento da IA, combinado com as tecnologias mais valiosas atualmente para plataformas de pagamento digital como Blockchain, Open Finance e métodos de pagamento instantâneo, podemos desbloquear uma nova era de soluções de pagamentos digitais hiperpersonalizadas, a essência dos deep payments.

Essa evolução,  antes  vista apenas como uma relação puramente transacional, abre a porta para pagamentos mais profundos através de uma nova conexão entre provedor e consumidor. Isso possibilita aos provedores de pagamento construir relacionamentos com cada cliente e criar uma marca que não é mais vista como transacional, mas sim, relacional. Os bancos são um ótimo exemplo de uma indústria antes transacional, que já está identificando e capitalizando essa mudança. Ao oferecer um serviço mais personalizado, amigável e fácil de usar, garantindo velocidade e segurança, os bancos e fintechs mais inovadoras estão conquistando clientes da Geração Z, que valorizam personalização, pertencimento e comunidade.

Deep payments vão proporcionar  aos clientes experiências personalizadas, ofertas relevantes e maior satisfação, enquanto garantem aos provedores maior fidelidade dos clientes, maior engajamento e melhores insights de dados. Não só a IA possibilita esses avanços, mas permite também tornar os serviços mais seguros, melhorando a experiência do usuário e a detecção de fraudes. Segurança e confiança bidirecionais são essenciais para um relacionamento significativo e benéfico.

Para garantir o melhor serviço possível, as empresas também podem aproveitar  duas tecnologias cada vez mais disponíveis: blockchain e Open Finance.

O blockchain oferece às plataformas de pagamento e seus usuários maior segurança, transparência e eficiência, enquanto o Open Finance cria uma camada extra de segurança, garantindo a identidade e a rastreabilidade das operações, além de ajudar a aprofundar os relacionamentos ao permitir que os provedores de pagamento integrem outros serviços financeiros de forma contínua dentro do mesmo aplicativo ou API, oferecendo mais opções ao consumidor, serviços mais competitivos e uma experiência geral melhor.

O último passo tecnológico para alcançar os verdadeiros pagamentos profundos, que ainda não estão totalmente disponíveis,  parece mais provável do que nunca: é o Pix Internacional unificado. Em outras palavras, precisamos de um sistema de pagamento internacional que incorpore o sucesso do nosso Pix. Por exemplo, o Banco de Compensações Internacionais (BIS) está desenvolvendo uma plataforma que pode integrar pagamentos instantâneos em 60 países, incluindo o Pix brasileiro. Trata-se do Nexus. O protótipo está atualmente sendo testado na Malásia, Cingapura e pelo Banco da Itália na Zona do Euro. Embora o Pix tenha feito sucesso por seu custo zero, velocidade e ausência de burocracia, o Brasil ainda espera que as transações internacionais alcancem a mesma velocidade  com baixo custo, mantendo a segurança e a satisfação do cliente em primeiro lugar. Seja impulsionado por blockchain, Pix, uma combinação dos dois, ou até mesmo uma terceira tecnologia, um sistema de pagamento instantâneo integrado internacionalmente ajudaria os provedores de pagamento a aumentar ainda mais a fidelidade dos clientes, ampliando  o leque de opções para remessas e transações internacionais.

O surgimento coletivo dessas tecnologias apresenta uma oportunidade verdadeiramente transformadora para nossas plataformas de pagamento digital. Assim como os bancos mais bem-sucedidos e inovadores já fizeram, podemos empregar essas ferramentas para alcançar um nível de hiperpersonalização que melhora a experiência do usuário e constrói relacionamentos  profundos e significativos com os clientes. Com novas tecnologias que nos permitem oferecer soluções de pagamento mais seguras, rápidas e amigáveis, podemos mirar para um novo modelo de deep payments, e um futuro onde as interações transacionais evoluem para relacionais, capacitando uma base de clientes mais conectada, confiante e satisfeita.

Sobre César Garcia:
César Garcia possui uma carreira inteiramente voltada para atividades no mercado de câmbio e pagamentos internacionais. Possui forte histórico como advogado regulatório financeiro e diretor jurídico. É membro permanente do Conselho de Administração e interface com o Banco Central do Brasil e demais agentes reguladores.
anúncios patrocinados
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.