Um super Falso Subsecretário do DF Legal é alvo de operação policial

O homem fingia ocupar o cargo para obter vantagens, como interferir em ações de combate à ocupação ilegal de terras no DF

Um homem suspeito de se passar por subsecretário do DF Legal foi alvo de uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), na manhã desta sexta-feira (3/6). Segundo as investigações, ele fingia ocupar o cargo para obter vantagens com grileiros de terras. A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) cumpriu quatro mandados de busca e apreensão em domicílio.

A polícia apurou que o investigado, utilizando de uma falsa identidade, participava de reuniões com agentes políticos e com servidores públicos para tentar interferir, principalmente, em ações de combate à ocupação irregular de terras. De acordo com a investigação, o suspeito não agia sozinho. Ele teria três comparsas, aparentemente grileiros de terras, para impedir a atuação do Estado sobre as grilagens em terrenos feitas por eles.

O falso subsecretário tentava, frequentemente, impedir demolições e desocupações em terrenos invadidos. O investigado também fingiu ser, em algumas ocasiões, subsecretário da Casa Civil do DF. Ele se aproveitava de qualquer uma das duas falsas identidades e entrava gratuitamente em casas noturnas, além de consumir bebidas nos locais.

“Durante a investigação, vários empresários de casas noturnas do DF foram ouvidos e confirmaram que o investigado, que fingia se chamar Jean e ser servidor público do DF legal, ingressava nas casas noturnas sem pagar nada sob o argumento de que poderia ajudá-los em eventuais fiscalizações do DF Legal”, destacou o delegado do caso, Waldemar Tassara.

Os mandados de busca e apreensão foram feitos na casa do investigado e dos três comparsas para buscar mais provas e elementos para a investigação do caso, que ainda está em curso. A polícia ressalta que, até o momento da publicação desta matéria, não há indicativo da participação de servidores públicos ou agentes políticos nos crimes em apuração.

“Vários documentos foram apreendidos e aparelhos celulares que poderão demonstrar com mais clareza a atuação desses indivíduos se passando como servidor público e a atuação deles na grilagem e ocupação irregular de terras”, ressaltou o delegado.

A ação policial foi denominada Operação Ambrósio, fazendo referência ao personagem enganador da peça O Noviço, de Martins Pena. Ao final das investigações, os suspeitos podem responder pelos crimes de tráfico de influência, de fingir-se funcionário público, falsidade documental, esbulho possessório, loteamento irregular de terras, estelionato e associação criminosa.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui