Tendências do Real Estate, marca pessoal e marketing digital, foram assuntos abordados no SOMA

Para discutir as novas tendências do setor imobiliário, o SOMA reuniu especialistas para falar sobre diversos assuntos que envolvem o segmento

Em sua primeira edição, realizada nos dias 29 e 30 de abril, o evento SOMA contou com a presença massiva de mulheres de diferentes regiões do Brasil. O encontro que aconteceu no RiverView Corporate Tower, prédio histórico que abrigou o Banking Boston e Nestlé por décadas, abriu suas portas para receber o primeiro evento promovido pelo Instituto Mulheres do Imobiliário, que reforçou a força, sororidade, empoderamento e protagonismo das mulheres no setor.

Os dois dias de evento contaram com painéis temáticos que discutiram a presença e atuação das mulheres no setor imobiliário. Privilégio de gênero, tendências do Real Estate, marca pessoal e marketing digital, comunicação empática, racismo estrutural e aquisição de propriedade, entre outros assuntos de importância feminina e social.

“O SOMA foca na diversidade e na equidade do setor, além disso, promove uma rede de apoio para novas profissionais e também as experientes. É uma comemoração à voz de mulheres que não apenas integram, mas completam e potencializam o mercado de imóveis no Brasil”, enfatiza  a fundadora do Instituto Mulheres do Imobiliário e autora do livro “Proprietárias”, Elisa Rosenthal Tawil.

Entre os diversos assuntos abordados no evento, tendências do mercado pós-pandemia reforçou a ideia de que o trabalho híbrido é uma realidade.

O trabalho híbrido é uma realidade

A pandemia veio para mexer de vez com a sociedade, se no início trabalhar de casa foi tido como um “problema”, hoje a realidade é que as pessoas estão buscando o equilíbrio e, com isso, o setor precisa se reorganizar para atender esse novo público, que ficou ainda mais exigente.

“A maioria das pessoas querem um modelo de trabalho híbrido, logo o espaço agora tem que ser diferente, precisa ser um espaço onde as pessoas possam conversar. Além disso, a busca é por espaços corporativos mais próximos de bairros residenciais onde a pessoa não precise perder tanto em deslocamento e, o mais importante, precisa ser mais acolhedor, que faça com que as pessoas queiram ficar no ambiente corporativo”, destaca Tânia Costa, da Regus, no painel Tendências do Real Estate.

Com a busca por espaços mais próximos dos bairros residenciais, a tendência é que as construtoras criem escritórios fora das regiões comerciais, para atender esse novo nicho.

Investimento: tendências

Como não poderia deixar de ser, diante de um cenário cada vez mais digital, o marketing digital tende a ser uma tendência de investimento do setor imobiliário. “O marketing digital traz uma eficiência, as próprias imobiliárias já estão investindo, pois, na mídia online é possível mensurar, entender a jornada do cliente, obter melhor resultado”, ressalta, Maria Júlia Temprano, da CP Construplan. Conclui dizendo que: 100% da comercialização está no digital, até mesmo contratos digitais.

Soft Skill no ramo imobiliário

A capacidade de trabalhar em grupo foi unanimidade entre os palestrantes, isso porque é uma forma de trocar conhecimentos e experiências, contribuir com soluções rápidas, afinal é mais pessoas pensando junto. Além disso, para Maria Júlia, “o próprio cenário econômico é um desafio, é preciso ter a visão de dono, aproveitar o momento de crise para trabalhar como dono”, conclui.

A importância da marca pessoal

Se existe um momento para os profissionais de todos os setores se concentrarem em construir sua reputação pessoal e pegada digital, esse momento é agora. Para endossar essa ideia, o painel “Marca Pessoal e Marketing Digital”, abordou a importância da imagem para os negócios.

Para Alê Cavalcante, “uma marca não cresce sozinha, quem pensa isso está perdendo uma grande oportunidade de crescer e destacar sua marca. Fico feliz em trabalhar com pessoas melhores que eu, pois eu tenho a percepção de que posso e sou capaz de melhorar”, concluiu a palestrante que veio de Maceió (AL), para participar do painel e compartilhar suas experiências.

Não muito diferente dessa ideia, Lara Almeida, destaca que cada pessoa já é sua própria marca, o que muda é a forma como cada um gerencia a sua imagem. “Quando eu trabalho minha imagem eu preciso estar atenta ao que eu visto, falo e como me comporto. Não devo me preocupar com o que a outra pessoa veste, fala ou como ela se comporta, e sim com a minha imagem, isso é trabalhar o autoconhecimento e a inteligência emocional”.

 

O painel foi repleto de diferentes vivências e experiências sobre marca pessoal, contudo, o que podemos ver em comum é que, é preciso que cada um tenha consciência dos seus pontos fortes e pontos fracos, e com isso deve-se buscar trabalhar as mudanças necessárias. Saber reconhecer seu potencial, o que você se identifica, para quem você quer falar é essencial e indispensável para a construção da sua marca pessoal.

O evento SOMA, do Instituto Mulheres do Imobiliário, contou com apoio de grandes empresas como JLL, Hines, Velo, Zap+, Lello, Grupo Rede de Vistorias, Secovi SP, Vista Software, AlugaMais, Imóveis Crédito Real, Marquise Incorporações, Charlie, IBREP, Construtora Pagano, Perplan, Vitrine Media Brasil, Versa e Jetimob.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui