‘Tempestades solares’ podem afetar sistemas de trens; entenda

O estudo produzido por cientistas do Reino Unido alertam sobre o poder que tempestades solares têm de causarem interferência no sistema eletrônico da ferrovia

Atrasos na chegada de trens ou suspensão dos serviços ferroviários são comumente relacionados à ocorrência de chuva ou até mesmo neve — em países onde ocorre o fenômeno natural. No entanto, pesquisadores da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, descobriram que o tempo limpo marcado por intensa atividade solar pode afetar os sistemas de sinalização das linhas dos veículos de transporte sobre trilhos.

O estudo apresentado no Encontro Nacional de Astronomia do Reino Unido, na última segunda-feira (11/7), revela que tempestades solares — eventos regulares causados pela liberação de radiação eletromagnética após erupções dentro do Sol, que atingem todo o Sistema Solar, inclusive a Terra, podem alterar os sistemas de sinalização das ferrovias que indicam a presença ou a ausência de um trem na linha.

A interferência ocorre porque grande parte da malha ferroviária de um país é guiada por uma espécie de semáforo com duas luzes, verde e vermelha, entre cruzamentos de trens, acionado automaticamente a partir da detecção de corrente elétrica.

Quando o semáforo está verde, significa que não há trem nos quilômetros anteriores ao cruzamento e o veículo que precisa cruzar o caminho pode seguir em frente sem perigo. Já quando está vermelho, significa que um trem se aproxima e o motorista do outro veículo deve reduzir e até mesmo parar até que o primeiro trem passe com segurança.

Os pesquisadores explicam que os atrasos ocorrem porque a tempestade solar moderada ou forte produz uma corrente elétrica que é captada pelo sensor que comunica ao semáforo a presença de um trem, chamado relé. O problema é que o trem não está lá e, a depender da intensidade da tempestade solar, esse erro pode permanecer por muito tempo até ela enfraquecer ou a empresa que administra a malha ferroviária fazer uma averiguação extra no trecho para checar se a informação é verdadeira ou não.

No estudo feito pelos pesquisadores, em duas linhas da rede ferroviária do Reino Unido, as tempestades solares moderadas produziram uma força de campo elétrico de 2 volts por quilômetro e as fortes, o dobro disso. Mas há registros na Suécia de tempestades que produziram mais de 7 volts por quilômetro nas ferrovias.

Mais do que atrasos, os cientistas alertam sobre a possibilidade das tempestades solares causarem uma interferência tão grande que poderia causar acidentes. “Agora estamos trabalhando para analisar o caso em que os trens estão presentes na linha e quão forte uma tempestade precisa ser para transformar um sinal vermelho em verde – um cenário muito mais perigoso que pode levar a acidentes!”, alerta Cameron Patterson, pesquisador e autor do estudo.

Os pesquisadores também afirmam que os efeitos de tempestades mais fracas, que ocorrem com maior frequência do que as moderadas e fortes, sobre os sistemas eletrônicos terrestres não devem ser negligenciados, já que “podem degradar esses sistemas ao longo do tempo”.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui