Por lei eleitoral, DF determina que secretarias suspendam redes sociais

A menos de 100 dias para o início do primeiro turno das eleições no Distrito Federal, apenas dois perfis do Governo do Distrito Federal (GDF) deverão funcionar para repasse de notícias

A menos de 100 dias para o início das eleições na capital federal, todas as secretarias e órgãos vinculados ao Governo do Distrito Federal (GDF) deverão, até 2 de julho, suspender todas as publicações de conteúdos nas redes sociais, como Twitter, Instagram, Facebook, entre outros. A medida deve durar até 2 de outubro, quando marca o primeiro turno das eleições.

A norma abre brecha apenas para a divulgação de materiais com conteúdos noticiosos nos perfis das redes sociais e páginas “GovDF” e “Agência Brasília”, administrados pela Secretaria de Comunicação do DF. Exibição ou distribuição de peças ou materiais de publicidade estão sujeitas ao controle da legislação eleitoral.

A norma, com 25 artigos, ainda traz que até esta quinta-feira (30/6), órgãos ou entidade integrante da Administração Pública Direta e Indireta do Distrito Federal deverão retirar ou cobrir todas as placas, outdoors, busdoor (peças derivadas) e outras superfícies que caracterizem publicidade.

Corrida eleitoral

Até o momento, são nove pré-candidatos a governador no Distrito Federal. São eles: Izalci Lucas (PSDB); Leandro Grass (PV); Rafael Parente (PSB), Keka Bagno (PSol); Professor Lucas Salles (DC); Robson da Silva (PSTU); Leila Barros (PDT); Reguffe (União Brasil); e Winston Lima (PRTB). O governador Ibaneis Rocha (MDB) não confirmou oficialmente a candidatura para à reeleição, mas afirmou que vai buscar o Buriti novamente este ano, quando participou do CB.Poder, em abril.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui