Painéis Aquilombar: eixo Resiliência é o tema da segunda semana de debates

 

 

Na segunda semana, eixo Resiliência aborda temas como Estratégias de sobrevivência da população negra no Brasil; Segurança pública, justiça e racismo institucional e O papel do dinheiro na emancipação das pessoas negras no Brasil

 

 

Debates de temas relevantes à população negra do DF até 21 de julho

Inscrições gratuitas antecipadas pelo Sympla e transmissão ao vivo no youtube

 

 

O projeto Afro em Movimento segue na sua segunda etapa de ação no mês de julho, com o ciclo Painéis Aquilombar, espaço seguro para debater temas relevantes à população negra do DF, com o objetivo de entender cenários presentes e esboçar perspectivas de futuro positivo.

A construção de quilombos foi uma prática de resistência e sobrevivência da população negra desde a época da escravização. E tais espaços eram formatados de forma a se constituírem como ambientes de segurança emocional e social para a população negra que o habitava, numa busca de reconstrução do território de onde haviam sido arrancados.

“O aquilombamento segue sendo uma estratégia de sobrevivência para a população negra, quer seja na conformação geográfico-cultural das periferias, quer seja na construção de espaços que conectam e aglutinam pessoas negras, a partir e para o fortalecimento de sua negritude, em espaços físicos e virtuais”, explica Leandro de Carvalho, coordenador dos Painéis Aquilombar.

Os Painéis Aquilombar trarão à discussão nove temas, divididos em 3 eixos, em formato de mesa de debate, realizados no Copa Network, com entrada gratuita mediante inscrição prévia pelo Sympla e transmissão ao vivo pelo Youtube www.youtube.com/channel/UCIGFAVxxxxCIq5OEodl36JEtaA:

Diáspora – Contemplando tema que levem à uma reflexão sobre a chegada do negro no Brasil, os links entre o Brasil e a África e as contribuições do negro para a construção do Brasil enquanto nação.

Resiliência – A grosso modo, resiliência é a capacidade de se adaptar às situações difíceis. No eixo resiliência trataremos exatamente disso, das (sobre)vivências e aspectos pertinentes às ferramentas e estratégias de sobrevivência do negro em um país onde o racismo está instalado no cerne da estruturação da sociedade.

 

Afeto – É urgente pensarmos uma sociedade plenamente justa onde o afeto esteja inserido. Conceber uma humanidade em que sejamos capazes de, individual e coletivamente, nos afetar com o que atinge outras pessoas. O afeto e como ele nos toca, em sua dimensão individual e coletiva, serão o norte deste eixo.

O projeto Afro em Movimento tem realização do Instituto Janelas da Arte, Cidadania e Sustentabilidade (@institutojanelasdaarte), e fomento da Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (@sejus_df).  Durante o primeiro semestre, promoveu ciclo com 11 cursos de capacitação para empreendedores negros que se encerra agora. O projeto inclui também palestras, lives, painéis, feira de empreendedorismo afro e apresentações artísticas, afim de não somente combater o racismo, mas desenvolver mais e mais uma consciência antirrascista em nossa sociedade.

Programação Painéis Aquilombar

Transmissão ao vivo pelo canal do Youtube: Afro em Movimento
Das 19h às 21h

Eixo Diáspora

05/07 – O Brasil é uma pequena África? 

A diáspora africana e a presença negra no Brasil.

Quem é negro no Brasil?

O que difere o Brasil de outros países destino de negros da diáspora africana?

O que seria do Brasil sem o povo negro?

Painelistas – Dalila Negreiros e Wanderson Flor do Nascimento

Moderador – Leandro de Carvalho

06/07 – Não só negro, brasileiro.

Pessoas negras no Brasil e o Estado.

Qual o papel do Estado quando falamos do negro no Brasil?

Como o Estado pode ser protagonista na luta pelo fim do racismo?

Painelistas – Diego Moreno e Luana Natielle (UNFPA)

Moderador – Leandro de Carvalho

07/07 – Reconectando os pedaços.

Terreiros e territórios como espaços de reconstrução.

Qual foi a importância dos Terreiros na reconstrução dos laços entre negros no Brasil? Os terreiros como espaços de acolhimento e segurança para os marginalizados pela sociedade.

Como os territórios se tornam espaços seguros para os negros no Brasil? A comunidade como espaço de acolhimento e pertença.

Painelistas – Iyá Elvira T’Oxum e Paique Santarem

Moderador – Leandro de Carvalho

Eixo – Resiliência

12/07 – Gingando para (r)e(s)(x)istir

Estratégias de sobrevivência da população negra no Brasil.

As múltiplas estratégias de sobrevivência do negro no Brasil desde o período da escravidão.

Quais são as estratégias de sobrevivência que podem ser utilizadas nos tempos atuais?

O que a população negra pode fazer para combater e reverter a sua inferiorização no Brasil?

Painelistas – Keilla Vila Flor e Otávio Damichel

Moderadora – Wemmia Santos

13/07 – Preto correndo não é ladrão!

Segurança pública, justiça e racismo institucional.

A justiça para pessoas pretas é justa?
Porque mesmo diante do racismo institucional as leis e normas que reproduzem o racismo são morosamente alteradas?

Como a população negra pode lidar com a perseguição policial e com a justiça racista?

Como fomentar nas polícias e no judiciário posturas anti racistas?

Painelistas – Juiz Fábio Francisco Esteves e  Deise Benedito

Moderadora – Wemmia Santos

 

14/07 – Dinheiro é coisa de preto.

O papel do dinheiro na emancipação das pessoas negras no Brasil.

Pessoas negras são um grande mercado consumidor, mas não são quem enriquece com o consumo.

Como fomentar o desenvolvimento econômico da população negra no Brasil?

Temos uma classe média negra em ascensão no Brasil?

Fazer dinheiro é herança ancestral preta?

Painelista 1 – Diego Reis, fundador do Banco Afro e Adriana Afro Chic

Moderadora – Wemmia Santos

Eixo – Afeto

19/07 – A arte que nos acolhe e liberta

O papel da arte na significação e afirmação da afetividade negra.

Qual o lugar da arte para a população negra?

Existe arte brasileira sem a herança cultural negra?

Como reverter o caminho da apropriação cultural da produção artística negra pela branquitude?

Como dar mais voz e lugar à artistas negros no Brasil?

Painelistas – OSDROS Grafiteiro, Flor Furacão e Sol Montes

Moderadora – Wemmia Santos

20/07 – Levanta mina, olha pra cima

Mulheres negras, afeto e sua autoestima.

Como a mulher negra pode se emancipar do seu lugar de escora do mundo?

Qual a importância de cada mulher negra ter um projeto de “si” para além do coletivo?

Como desconstruir a visão da “mulata globeleza”?

Painelistas – Rapper Realeza e Tainá Cary

Moderadora – Wemmia Santos

21/07 – Negra é a raiz da liberdade

A valorização da população negra é o futuro do Brasil.

Há consolidação da democracia no Brasil sem o fim do racismo?

Como criar as bases para um Brasil sem apartheid racial?

Como superar o mito da democracia racial no Brasil para reconhecer e valorizar as nossas raízes negras projetando o país para o futuro?

Painelistas – Mara Karina Silva e Ilka Teodoro
Moderadora – Wemmia Santos

Serviço

Painéis Aquilombar

Afro em Movimento
Datas: 5, 6, 7, 12, 13, 14, 19, 20, 21 de julho de 2022

Local: COPA

Inscrições gratuitas pelo Sympla

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui