O TSE registra os candidatos à Presidência com bens de R$ 25 milhões e outro com R$ 197

O primeiro, que informou como ocupação a ciência política, declarou participação em seis empresas, com um patrimônio total de R$ 24,6 milhões.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou nesta quarta-feira (3) mais dois pedidos de registro de candidatura à Presidência, de Luiz Felipe d’Avila (Novo) e de Leonardo Péricles (UP).

O primeiro, que informou como ocupação a ciência política, declarou participação em seis empresas, com um patrimônio total de R$ 24,6 milhões.

O segundo, que é técnico de mecânica por ocupação, declarou ter só uma poupança de R$ 197. Há dois anos, quando disputou a vice-prefeitura de Belo Horizonte, seu único bem declarado também era uma caderneta de poupança, na ocasião de R$ 964.

O TSE restringiu a transparência sobre os bens dos candidatos, o que torna impossível ao eleitor saber, pelo sistema de divulgação, quais são as empresas de d’Ávila, o ramo de atuação ou onde ficam.

Em seu site, ele se apresenta como fundador e presidente do Centro de Liderança Pública (CLP) e publisher do VirtùNews.

Até esta quarta, quatro candidatos já registraram seus pedidos de candidatura à Presidência, todos eles nanicos. Os outros dois são Sofia Manzano (PCB) e Pablo Marçal (Pros) -esse último está com a candidatura sob risco porque seu partido mudou de comando por decisão da Justiça e anunciou apoio a Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Dos quatro candidatos a presidente já registrados, apenas Marçal pontuou na última pesquisa do Datafolha (1% das intenções de voto).

Os partidos têm até essa sexta-feira (5) para realizar as convenções de escolha de seus candidatos. Os registros de pedido de candidatura, porém, podem ser entregues à Justiça Eleitoral até as 19h do dia 15 de agosto, véspera do início oficial do período de campanha.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui