Gabriela Bilá e André Costa apresentam arte efêmera no Museu de Arte de Brasília para o lançamento da “Cinema Urbana

Cinema Urbana promove evento no Museu de Arte de Brasília, para lançar sua quarta edição

 

Ocupação do MAB com obra visual e sonora

 

Fachada de Cobogós do Museu abriga trabalhos efêmeros realizados, em sinergia, por dois expoentes das artes

 

 

Gabriela Bilá André Costa, a convite da curadoria da Cinema Urbana – Mostra Internacional de Cinema de Arquitetura, idealizaram experiência visual e sonora a ser apresentada na noite do dia 14 de agosto, domingo, para marcar o lançamento de nova realização da mostra.

Inspirada no tema desta edição da Cinema Urbana: Imaginar Mundos Possíveis, a artista multimídia Bilá criou uma narrativa experimental utilizando trechos de filmes da mostra, selecionados pela curadoria. E em consonância com o termo: Cinema de Arquitetura, o trabalho será projetado na fachada de Cobogós do MAB.

Coube a André Costa, conhecido na cena da música eletrônica por DJ Isn’t, compor a trilha sonora que será executada ao vivo durante a exibição. Elaborada especificamente para esse momento, a obra sonora cria, assim como a projeção de Bilá, um diálogo com o ambiente no qual estará inserida.

Gabriela Bilá, artista multimídia com formação em Arquiteta e Urbanista, pela UnB, e mestre em Multimídia e Linguagens Digitais pelo MIT Media Lab, exibiu seu trabalho de mestrado: With(in), na Bienal de Arquitetura de Veneza em 2021. Sua mais recente obra, a instalação imersiva: Two Mobility Futures, está em exibição no Guggenheim Bilbao, sob curadoria da Norman Foster Foundation. Ela assina a identidade visual da Cinema Urbana 2022.

André Costa é um dos precursores da cena eletrônica de Brasília. Nos anos 1990, idealizou os dois primeiros clubs do estilo musical locais: Wlöd Club e miQRa, e em sua trajetória, de mais de 20 anos dedicados à vertente, experimenta o limiar entre pista de dança, instalação, performance e intervenção arquitetônica. Seu mais recente projeto: A Caixa Sensorial, explora o tema: pistas de dança experimentais em escala reduzida dedicadas à música difícil de dançar. André também é graduado em Arquitetura e Urbanismo, pela UnB, e um dos curadores da Cinema Urbana 2022.

Com recursos do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, e apoio do SESC-DF, a IV Cinema Urbana – Mostra Internacional de Cinema de Arquitetura será realizada entre os dias 16 e 21 de agosto no Cine Brasília e no Espaço Cultural Renato Russo.

Além da exibição de 43 filmes de 13 países, em mostras competitiva, de convidados e em sessões especiais, a edição deste ano promove o segundo Seminário de Arquitetura e Cinema, quando serão apresentados e debatidos trabalhos acadêmicos, assim como filmes.

Idealizada e produzida desde 2018 por Liz SandovalThay Limeira e Daniela Marinho, a mostra Cinema Urbana amplia, pela lente do cinema, o entendimento sobre a cidade e suas estruturas (sociais, culturais, arquitetônicas), ao estimular a reflexão, em termos de cidadania, na construção da cultura e de um espaço e tempo coletivos.

Serviço:

4ª Cinema Urbana – Mostra Internacional de Cinema de Arquitetura

Lançamento: Ocupação do MAB com obras visual e sonora

Local: Museu de Arte de Brasília

Endereço: SHTN Trecho 1, projeto Orla Polo 03, Lote 05

Dia e horário: domingo, 14 de agosto, a partir das 19h

Classificação indicativa: livre para todos os públicos

Informações: www.cinemaurbana.com

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui