Educador financeiro explica como adquirir e cultivar o hábito de  guardar dinheiro, mesmo não possuindo uma grande renda mensal

Segundo dados divulgados recentemente pela Confederação de Dirigentes  Lojistas (CNDL), 67% dos brasileiros não têm o hábito de guardar  dinheiro

De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  a renda média dos brasileiros atualmente é de R$2.548,00. Com a alta  nos preços, muitos brasileiros estão tendo dificuldades em conseguir  fazer o orçamento render durante o mês. E se está difícil até para  comprar itens básicos, criar o hábito de guardar uma pequena quantia  mensalmente tem sido quase impossível para muitas pessoas. Segundo  dados divulgados recentemente pela Confederação de Dirigentes Lojistas  (CNDL), 67% dos brasileiros não guardam nenhuma quantia no mês.

“Muitas pessoas acreditam que só é possível guardar dinheiro se o  salário for um valor exorbitante, mas, com um pouco de disciplina e  cuidado, reservar uma pequena quantia para emergências ou projetos  futuros é possível”, explica o educador financeiro Tiago Cespe,  criador da Cespe Educação Financeira. Assim como qualquer outra  atividade que, guardar dinheiro é um hábito que, no início, pode  exigir um pouco de empenho, mas com o tempo acaba se tornando algo.

“O primeiro passo é fazer uma lista de tudo o que você gasta durante o  mês, e essa lista precisa ter tudo, literalmente, como por exemplo um  corte de cabelo, o café da manhã na padaria, gastos com crédito no  celular e refeições em restaurantes ou por aplicativos de delivery”,  ressalta Cespe. Feito essa lista, é hora de passar o pente fino, ou  seja, selecionar os gastos que não tem como cortar, como é o caso da  conta de energia elétrica e água, o gás e as despesas de mercado dos  itens necessários.

“Ao invés de pedir comida por delivery, aproveite para cozinhar em  família, se o celular é pré-pago, procure um plano mais em conta; se a  pessoa só se locomove com o carro, ande mais de transporte público,  enfim, são pequenos passos capazes de mudar completamente o orçamento  do mês”, diz o educador financeiro. Depois de selecionar o que é  prioridade e o que não é prioridade nos gastos do mês, é hora de  traçar os planos.

Muitos sonham com a casa própria, um carro novo ou até com o casamento  dos sonhos. Alguns costumam realizar essas aquisições sem qualquer  planejamento, pois acreditam que parcelar o valor total é a solução.  No entanto, imprevistos podem acontecer, e uma pequena parcela pode  virar uma dívida imensa. “É importante reservar uma boa quantia para  algum projeto maior, isso acaba motivando as pessoas a economizar,  pois elas ficam empolgadas em realizar o sonho e percebem que tudo  fica mais fácil quando se tem uma boa reserva para dar como entrada”,  pontua Cespe.

Outro questionamento recorrente é sobre o valor ideal a ser guardado.  A regra é simples: precisa ser uma quantia que não comprometa o  pagamento das contas essenciais. Sendo assim, podem ser valores como  R$10, R$20 ou R$30 por mês. Mesmo sendo quantias pequenas, a longo  prazo os resultados podem ser bastante surpreendentes.

Crédito ou débito?
O cartão de crédito facilitou muito as compras, mas, se não for  utilizado com cautela, pode acabar se tornando um problema. “Jamais  compre algo por impulso, pense bem antes de efetuar uma compra e,  sempre que possível, pague contas menores à vista”, afirma o educador  financeiro. Existem também alguns truques conhecidos que aliviam o  orçamento, um deles é a comprar roupas: compre-as fora da estação, ou  seja, compre roupas para o inverno no verão e roupas para o verão no  inverno.

Investimentos acessíveis
Muitos ainda acreditam que o mundo dos investimentos é um universo  complexo, acessível apenas àqueles quem possuem uma renda mensal  vultuosa e vasto conhecimento na área, entretanto, existem  investimentos para todos os tipos de perfis. “É importante pesquisar  sobre o assunto, pois existem educadores financeiros que cobram  valores acessíveis para instruir quem quer conhecer mais sobre esse  universo. Com R$30 é possível investir em títulos de tesouro, por  exemplo, e alguns títulos podem ter liquidez diária, só necessitando  ter atenção às taxas de cada um deles”, finaliza Cespe.

Sobre a Cespe Educação Financeira
A Cespe Educação Financeira foi criada pelo educador financeiro Tiago  Cespe. É uma empresa constituída para ajudar as pessoas a conquistarem  todos os seus objetivos por meio de metodologias testadas e  comprovadas de forma simples e eficaz. Desmistificando o mercado  financeiro e trazendo para o dia-a-dia ferramentas que impulsionarão  investimentos, proporcionando qualidade de vida de forma equilibrada e  plena.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui