COMO AUMENTAR A TEMPERATURA  NO FRIO DAS RUAS DO DF.

 

 

Fernanda Sena para Times Brasília


Diariamente cerca de 400 marmitas são distribuídas, nas ruas de Taguatinga, Asa Sul, e onde houver cidadãos que necessitem de acolhimento, além dos alimentos, ainda são realizadas campanhas de arrecadação de agasalhos. Esse trabalho é realizado pelo Instituto Adenilson Cruz e por uma rede de Anjos parceiros.

 

“São sete anos doando comida em hospitais para pacientes em tratamento de Hemodiálise e para a população de rua do DF”, explica Adenílson Cruz, fundador do instituto, que ganhou registro após o início da pandemia em 2020. Mensalmente mais de 10 mil pessoas são beneficiadas.O Instituto Funciona na cidade do Guará, e já contabilizou cerca de 370 mil marmitas distribuídas no DF.

Sobreviver às ruas é um ato de resistência às baixas temperaturas e à fome. Dados da Secretaria de Desenvolvimento Social do DF – Sedes-DF, revelam que há 2.252 morando nas ruas do DF e não são todos  que estão nessa situação que possuem registros e podem ser considerados nas estatísticas, fator este que faz aumentar a estimativa anual de mais pessoas chegando às ruas por diversas causas.“Receber uma boa ação de uma pessoa como essa para nós moradores de rua, isso significa muito para a gente!” comemora um dos moradores. Trecho retirado de um dos depoimentos presentes no site do Instituto. Trabalhos sociais como este, são auxiliares às ações da Sedes-DF, que constantemente encaminha os moradores que aceitam acolhimento, para centros sociais.
Léo Rangel, o pré-candidato Distrital do PDT, presta serviços ao Instituto Adenilson Cruz, há quase três anos. Ele põe a mão no tacho para colaborar desde o preparo até a entrega das mais de 120 toneladas de alimentos, e na arrecadação de agasalhos.” Além de muito acolhedor,  o projeto veio para transformar a vida de quem vive nas ruas e a minha também! Nas ruas do DF  temos tantas histórias, que podem ser reescritas, com um olhar  de afeto… a cada dia me surpreendo ao conhecer esses cidadãos que possuem uma inteligência incomum e que supera muitos gestores que possuem um teto! ” Destaca Léo Rangel.

(Foto: Instituto Adenílson Cruz)
 
O Instituto já está consolidado entre a população em situação de rua, lembra o pré- candidato que, ao receberem as marmitas eles têm a certeza de que o alimento é feito com muito cuidado, pois o preparo da comida é pensado para auxiliar o bem-estar deles e para trazer à memória deles àquela refeição caseira, que muitos deles já tiveram pelo menos uma vez na vida!”

Como ser um  “Anjo Parceiro”?

O outono, neste mês de maio, em Brasília já está com cara de Inverno e de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, Brasília pode chegar a registrar 5ºC (cinco graus Celsius) em seus termômetros! O que coloca a cidade no chamado Alerta Laranja, por conta da massa de ar polar que está em deslocamento no Centro-Sul do país. Por isso, aquilo que não tem mais uso para você ou sua família, ajuda a aquecer quem tem frio! Reúna peças como casacos, meias, toucas, luvas e cobertores para ajudar o Instituto Adenílson Cruz a aquecer além do estômago, o corpo de de mulheres, homens e crianças que sobrevivem no concreto que já é frio – e imagina como é ter que se abrigar a estimados cinco graus Celsius, debaixo de marquises ou ao relento? – Em casos assim a sensação térmica faz o frio aumentar ainda mais!

Basta ser uma empresa parceira, como as listadas no institutoadenilsoncruz.org.br/#parceiros, no site: institutoadenilsoncruz.org.br, que colaboram com alimentos, roupas, recursos financeiros ou  com aquilo que podem doar. Você pode também ser um “anjo voluntário” atuante com arrecadações de agasalhos em sua comunidade e também nos preparos e entregas das marmitas. Confira como participar:

 


(Arte: Instituto Adenílson Cruz)
anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui