A PGR recomenda manutenção da prisão de homem que ameaçou ministros do STF

Ivan Rejane disse que caçaria a esquerda brasileira e penduraria ministros do Supremo ‘de cabeça para baixo’

 

A Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestou, nesta segunda-feira (25/7), a favor da manutenção da prisão de Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, preso pela Polícia Federal, em Belo Horizonte, por ameaçar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e dizer que iria “caçar” a esquerda brasileira.

“[É necessário] destacar que os materiais apreendidos com o custodiado estão sendo examinados pela Polícia Federal, pelo que a análise pericial não restou concluída no exíguo prazo de 5 (cinco) dias”, afirmou a vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araújo.

“Considerando que a conclusão da perícia técnica pode ensejar a necessidade de novas diligências investigativas urgentes para a coleta de elementos de informação e que a liberdade do custodiado representa concreto risco para a investigação (…) a prorrogação da prisão temporária é imprescindível para a eficácia da investigação”, disse Araújo.

Com a manifestação da PGR, o ministro do STF Alexandre de Moraes deve decidir nas próximas horas sobre o pedido da PF pela manutenção da prisão temporária.

O investigado publicou um vídeo nas redes sociais na última quarta-feira intitulado de “7 de Setembro de 2022”. Nele, Ivan Rejane fala que Lula deve andar “armado até o talo porque ele e a direita vão caçar ele e Gleisi Hofmann”. O homem também ameaça o deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ) e diz que os ministros da Corte devem sair do Brasil.

“Principalmente, esses vagabundos do STF. Se eu fosse você, Barroso, Fachin, Fux, Moraes, Lewandowski, Mendes, eu ficava [sic] nos Estados Unidos, na Europa, em Portugal. Até Cármen Lúcia, Rosa Weber. Sumam do Brasil! Nós vamos pendurar vocês de cabeça para baixo […] Nós, brasileiros, cidadãos de bens [sic], não toleramos”, disse em um trecho do vídeo, seguido de uma sequência de palavrões.

Ivan Rejane Fonte Boa Pinto foi candidato a vereador em Belo Horizonte em 2020 e teve 189 votos. Ele se apresenta como “terapeuta” para dependentes químicos e mantém um canal no YouTube. No entanto, seus vídeos são repletos de xingamentos e ofensas a políticos de esquerda, a quem ele associa a existência do narcotráfico, e os ministros do Supremo, que, segundo ele, “mandam soltar esses vagabundos”.

Risco a democracia

O delegado Fábio Alvares Shor, da Polícia Federal, encaminhou o material com as ameaças para o STF adotar as diligências necessárias. A PF entendeu que a conduta “possui risco de gerar ações violentas, diretamente por Ivan Rejane ou por adesão de voluntários”, solicitou sua prisão temporária, a busca e apreensão e o bloqueio das redes sociais.

Alexandre de Moraes também determinou, além da prisão, a realização de busca e apreensão. A decisão foi dada no âmbito do “inquérito das fake news”, que tem o magistrado como relator. O ministro ressaltou que o homem atentou contra o Estado democrático.

“Como se vê, as manifestações, discursos de ódio e incitação à violência não se dirigiram somente a diversos Ministros da Corte, chamados pelos mais absurdos nomes, ofendidos pelas mais abjetas declarações, mas também se destinaram a corroer as estruturas do regime democrático e a estrutura do Estado de Direito, contendo, inclusive, ameaças a pessoas politicamente expostas em razão de seu posicionamento político contrário no espectro ideológico”, escreveu Moraes.

anuncio patrocinado
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui