O Co-fundador da Oceangate diz que pode povoar Vênus “de forma segura”

Empresa foi responsável pela morte de cinco pessoas que estavam em um “submarino” em direção aos destroços do Titanic no oceano Atlântico, em junho do ano passado

Co-fundador da OceanGate, empresa responsável pelo “submarino” que implodiu em junho do ano passado e levou à morte cinco pessoas — durante uma viagem aos destroços do Titanic no fundo do oceano Atlântico —, Guillermo Söhnlein tem um novo projeto: levar pessoas a Vênus até 2050.

Söhnlein fundou a Oceangate em 2009 com Stockton Rush, uma das vítimas da implosão do Titan ano passado. O empresário, que deixou a companhia há mais de dez anos, agora monta uma comunidade de entusiastas de Vênus com objetivo de construir colônias humanas no planeta.

Em seu blog, Guillermo afirma que ele e seus seguidores poderiam “embarcar na nossa jornada Venusiana HOJE … e fazê-la de maneira segura e de forma econômica”.

O planeta, porém, apresenta obstáculos inúmeros para a vida humana. Descrito como “infernal”, a temperatura de Vênus excede os 464°C e sua pressão equivale à registrada 914m acima do nível do mar terrestre.

Para Söhnlein, o plano não é pousar na superfície do planeta, mas sim que os humanos vivam em cidades flutuantes a cerca de 50 km da superfície.

Acerca das nuvens de ácido sulfúrico presentes em Vênus, o empresário diz que esses problemas podem ser superados com aparatos para respiração e materiais resistentes a ácidos.

Em seu blog Humans2Venus (“Humanos para Vênus”), Söhnlein disse em abril que Vênus apresenta uma melhor perspectiva para a vida humana do que Marte — foco da Nasa e da SpaceX.

“A realidade é que Vénus está muito mais próximo da Terra e tem uma órbita muito mais semelhante, o que o torna muito mais acessível do que Marte (custo mais baixo, janelas de voo mais frequentes, tempos de trânsito mais curtos, maior segurança, etc.)”, escreveu ele.

Além disso, o empresário afirmou que mandar humanos para Vênus antes de Marte poderia ser uma oportunidade para desenvolver capacidades para criar uma comunidade marciana.

Apesar de ter saído da Oceangate em 2013 e ter dito em uma entrevista para a Times Radio no ano passado que não esteve envolvido no desenvolvimento do Titan propriamente dito, a associação de Söhnlein com a empresa pode ser um impedimento para seus planos. A Oceangate foi totalmente desacreditada depois da implosão do Titan.

“Esqueça a Oceangate. Esqueça o Titan. Esqueça o Stockton. A humanidade pode estar à beira de um grande avanço e não aproveitar, porque nós, como espécie, vamos ser desligados e empurrados de volta para o status quo. (Enviar humanos para Vênus) é uma aspiração, mas penso que seja muito executável até 2050”, afirmou ele no ano passado para o portal Business Insider.

anúncios patrocinados
Anunciando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.