Bento Albuquerque pede esforço na redução do consumo de energia elétrica

0

Em pronunciamento, o ministro de Minas e Energia afirma que, nesse momento de escassez, é fundamental diminuir o uso do chuveiro elétrico, ferro de passar roupa e ar-condicionado

 

Em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão na noite realizado nesta terça-feira (31/8), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que a crise hídrica se agravou e disse que o país está passando pela pior seca dos últimos 91 anos. Segundo ele, trata-se de um fenômeno natural que também ocorre com a mesma intensidade em muitos outros países.

O ministro afirmou que o período de chuva na região Sul foi pior que o esperado. “Como consequência, os níveis dos reservatórios de nossas usinas hidrelétricas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste sofreram redução maior. Esta perda de geração hidrelétrica equivale a todo o consumo de energia de uma grande cidade como, por exemplo, o Rio de Janeiro por cerca de cinco meses. Para enfrentar essa situação é necessário garantir o fornecimento de energia. Estamos utilizando todos os recursos disponíveis e tomando medidas extraordinárias”, afirmou.

De acordo com Albuquerque, para enfrentar a situação é necessário garantir o fornecimento de energia. “Com pouca água nos reservatórios das hidrelétricas, tivemos que aumentar a geração de energia nas nossas termelétricas e estamos importando energia de países vizinhos como todos os recursos mais baratos já estavam sendo utilizados esta eletricidade adicional.”

Para o ministro, é fundamental as medidas para que possamos atravessar com segurança o grave momento energético que afeta toda população. “Para atenuar os impactos no dia a dia da população e também para diminuir o custo da energia, estabelecemos medidas de incentivo à participação da sociedade nesse esforço conjunto a exemplo do que outros países fazem.”

Ele também falou sobre as medidas citadas pela Aneel, que indica que ser importante diminuir o uso de chuveiro elétrico, ferro de passar roupa e ar-condicionado. “O governo já orientou a redução do consumo dos órgãos federais em 20%, incentivamos grandes consumidores a contribuir com a redução voluntária do consumo nas horas de conta do sistema, reduzindo a necessidade de uso de recursos mais caros, incentivamos igualmente os consumidores residenciais, comerciais e de serviços a também participar desse esforço. A título de exemplo, uma redução média de 12% do consumo residencial equivaleria ao suprimento de nada menos de US$ 8,6 milhões. Podemos conseguir até mais eliminando todo o desperdício no consumo de energia, desligando luzes e aparelhos, aproveitando mais a luz natural, reduzindo a otimização de equipamentos que consomem com chuveiros elétricos, condicionadores de ar e ferros de passar”, explicou.

Para Albuquerque ,o mais importante, é dar preferência para o uso desses equipamentos durante o período da manhã e nos fins de semana. “Os consumidores que aderirem a este chamado e economizar energia serão recompensados e poderão ter redução na sua conta de luz. Necessitamos recuperar nossos reservatórios, isso vai levar tempo, pois dependemos do empenho de todos. Nesse momento de escassez precisamos mais do que nunca usar nossa água e nossa energia de forma consciente e responsável.”

 

 

anuncio patrocinado
Anunciando...