11 filmes e séries incríveis que ajudam a lidar com o luto em tempos de pandemia

0

 

Lidar com a perda de alguém se tornou um evento recorrente durante a pandemia. Veja como o cinema pode ajudar a refletir sobre o luto!

A pandemia de Covid-19 virou o mundo de cabeça para baixo. Além das inúmeras mudanças causadas pelas medidas sanitárias, esse período tem sido marcado por muito trauma, dor e sofrimento.

Desde a identificação do primeiro caso da doença, em dezembro de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já contabilizou mais de 4 milhões de mortes em todo o planeta. O Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de países com mais óbitos no mundo, ultrapassando a marca de 550 mil mortes.

Os números mostram que o Brasil é o país com mais óbitos por Covid-19 a cada 1 milhão de habitantes, como mostra um levantamento do Our World in Data. Com uma média de 1,9 mil mortes a cada um milhão de habitantes, é possível concluir que todo brasileiro conheça pelo menos uma pessoa que tenha falecido em decorrência do vírus.

Nesse cenário, as questões envolvendo o luto na pandemia ganham espaço no debate público. Muitos estudos na área de Psicologia, inclusive, já estão sendo realizados nesse sentido. Para contribuir com o tema, preparamos este artigo que aborda o conceito de luto e suas etapas, além de apresentar 11 filmes e séries incríveis que trabalham essa temática e ajudam a compreender esse momento de dor.

Conceito de luto

Uma das definições mais clássicas e amplamente utilizadas para explicar o luto é do psicólogo, psiquiatra e psicanalista britânico John Bowlby (1907 – 1990). De acordo com ele, o luto é um processo natural que ocorre em reação a um rompimento de vínculo.

Apesar de ser frequentemente associado à morte de alguém próximo, o luto também pode surgir em outras situações, como uma separação conjugal, a perda de um animal de estimação, uma demissão no trabalho, além de outros eventos traumáticos.

Etapas do luto

O processo do luto também é compreendido a partir de cinco estágios pelos quais uma pessoa enlutada passa. Essas etapas foram descritas pela psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross (1926 – 2004), em um ensaio lançado em 1969.

O modelo de Kübler-Ross, como é conhecido, vem ajudando médicos, psicólogos, psiquiatras e pessoas no geral a entender cada fase do luto. São elas:

Negação: é a reação psíquica do cérebro marcada pela dificuldade em lidar com o acontecimento da perda. Existe uma dor muito intensa, mas a pessoa tem muita dificuldade para lidar, ou até mesmo entender, uma vida sem aquilo que perdeu.

Raiva: normalmente, o passo seguinte é que a pessoa enlutada se sinta preenchida por sentimentos como raiva, angústia, desespero ou medo. Ainda incapaz de aceitar a perda, o indivíduo reage de maneira agressiva, até mesmo com atitudes autodestrutivas, sem compreender a gravidade de suas ações.

Barganha: nesta etapa do luto, a pessoa tenta negociar consigo mesma ou com o objeto de sua fé um alívio para sua dor. Muitas vezes, pensamentos do tipo “e se eu tivesse feito isso” enchem a mente do enlutado, como uma esperança de encontrar consolo para si mesmo.

Depressão: este talvez seja o estágio mais intenso do luto. É o momento em que a pessoa entende sua perda e é acometida por um grande sofrimento. A dor da perda vira o combustível deste estado depressivo. Acompanhamento psicológico e suporte da rede de apoio são fundamentais para lidar com essa e as demais etapas.

Aceitação: a última fase do luto é caracterizada pela compreensão do enlutado sobre a nova realidade, que agora terá a ausência. Não quer dizer que a pessoa vá esquecer de quem partiu, mas ela aprenderá a conviver de maneira pacífica com esta perda.

Luto e pandemia

Rituais fúnebres — como velórios, sepultamentos e cremações — são parte essencial do processo de encerramento de um ciclo e contribuem para lidar com a perda de alguém.

No entanto, com as restrições sanitárias, os rituais de despedida precisam ser adaptados durante a pandemia. As homenagens póstumas, por exemplo, têm sido as alternativas ao velório tradicional. Envio de coroa de flores, celebrações religiosas e videoconferências para compartilhar boas memórias de quem se foi são algumas dessas práticas.

É importante ressaltar que cada pessoa passa de forma diferente pelo luto. Por isso, é correto dizer que não há fórmulas prontas nem roteiros específicos que tragam o mesmo resultado para todos. Cada indivíduo lida com esse processo no seu tempo e é importante respeitar essa condição.

11 filmes e séries para ajudar a lidar com o luto 

Em tempos de isolamento social, o audiovisual tem se mostrado um grande aliado de milhões de pessoas em todo o mundo, inclusive para quem passa por um processo de luto.

Selecionamos 11 filmes e seriados incríveis que abordam a questão do luto a partir de diferentes olhares e que podem ajudar a refletir sobre esta situação. Confira!

1. Up – Altas Aventuras, de Pete Docter (Up, 2019)

A animação da Pixar retrata a questão do luto de forma leve e empática. Carl Fredricksen (Edward Asner) é um vendedor de balões que se vê diante da possível perda da casa onde sempre viveu com Ellie — sua primeira namorada e esposa, que já havia falecido —, por conta da construção de um empreendimento imobiliário em seu quarteirão.

Para evitar a perda de seu último laço com a esposa, Carl enche milhares de balões em sua casa e faz com que a casa voe até uma floresta na América do Sul, lugar que o casal sempre desejou conhecer. Ele só não esperava que Russell (Jordan Nagai), um jovem escoteiro, iria embarcar na aventura sem ele saber.

O filme está disponível na plataforma de streaming Disney+.

2. Amor, de Michael Haneke (Amour, 2013)

O drama francês acompanha a história do casal de aposentados Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva), que são verdadeiros apaixonados por música. Eles têm uma filha musicista que vive em outro país.

Quando Anne sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado, os casal precisa enfrentar desafios que colocam seu amor em teste.

O longa-metragem está disponível no Globoplay.

3. Beleza Oculta, de David Frenkel (Collateral Beauty, 2017)

O envolvente filme, disponível no catálogo da Netflix, conta a história de Howard (Will Smith), um publicitário em ascensão que entra em depressão profunda após a morte de sua única filha. Após se afastar de seus amigos, só encontra alívio ao escrever cartas para a morte, o tempo e o amor.

Porém, o inimaginável acontece quando estas três partes do universo decidem responder de volta a Howard.

4. Tão Forte e Tão Perto, de Stephen Daldry (Extremely Loud And Incredibly Close, 2011)

Retratando o luto infantil, o filme é protagonizado por Oskar Schell (Thomas Horn), um garoto que sofre com a perda do pai, morto no atentado do World Trade Center, em 11 de setembro de 2001.

Ao mexer em um armário de sua casa, Oskar encontra um vaso azul e uma chave que acredita ser parte de um enigma deixado pelo seu pai. O filme conta a história de como ele e sua família vão atrás da história do misterioso objeto.

O longa está disponível na HBO.

5. A Culpa é Das Estrelas, de Josh Boone (The Fault In Our Stars, 2014)

Com base no best-seller do escritor John Green, o filme conta a história de dois adolescentes que vivem com câncer.

Hazel (Shailene Woodley) e Augustus (Ansel Elgort) se conhecem em grupo de apoio e, apesar de possuírem visões completamente diferentes sobre a vida, se apaixonam e aprendem coisas importantes um sobre o outro.

A história pode ser encontrada no Google Play.

6. Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonergan (Manchester By the Sea, 2017)

Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original, o filme conta a história de Lee Chandler (Casey Affleck), que é obrigado a retornar à sua cidade natal para cuidar de seu sobrinho adolescente, após a morte precoce e inesperada de seu irmão (Kyle Chandler).

O retorno se mostra ainda mais complicado, pois Lee é forçado a encarar os motivos que, anos antes, o fizeram abandonar sua família e sua terra natal.O longa está disponível no Amazon Prime Video.

7. Para Sempre Alice, de Richard Glatzer e Wash Westmoreland (Still Alice, 2015)

Alice Howland (Julianne Moore) é uma renomada professora de linguística. Ela se depara com os desafios de apresentar sintomas precoces de Alzheimer, doença degenerativa em que a pessoa vai perdendo suas funções mentais e cognitivas aos poucos.

A trama mostra os desafios e os conflitos da dra. Alice e de sua família: o marido John (Alec Baldwin) e a filha caçula Lydia (Kristen Stewart). A impecável atuação de Moore rendeu os prêmios de Melhor Atriz no Oscar, BAFTA, Globo de Ouro e SAG Awards.

O filme está no Google Play.

8. O Quarto do Filho, de Nanni Moretti (La Stanza del Figlio, 2001)

O drama italiano acompanha uma família que vive de forma feliz. O psicanalista Giovanni (Nanni Moretti) e sua esposa Paola (Laura Morante) vivem tranquilamente com o casal de filhos, até que um acidente tira a vida do rapaz. O filme mostra sentimentos como a dor da perda, o remorso e a culpa.

9. Fleabag, de Phoebe Waller-Bridge (Fleabag, 2016 – 2019)

A premiada série dirigida e protagonizada por Phoebe Waller-Bridge mostra como uma mulher adulta faz para lidar com uma série de problemas pessoas, incluindo a perda da mãe e da melhor amiga.

A série retrata de maneira leve e bem-humorada diversos sentimentos comuns ao processo de luto, como solidão, culpa e até mesmo comportamentos autodestrutivos.

As duas temporadas estão disponíveis no Amazon Prime Video.

10. This Is Us, de Dan Fogelman (This Is Us, 2016 – em exibição)

This Is Us é um dos mais celebrados seriados de TV da atualidade, com diversos prêmios na bagagem.

A série conta a história da família Pearson, desde o momento em que Jack (Milo Ventimiglia) conhece Rebecca (Mandy Moore), a futura mãe dos seus filhos.

Randall (Sterling K. Brown), Kate (Chrissy Metz) e Kevin (Justin Hartley) são os filhos do casal. A trama gira em torno da dinâmica e das relações entre os membros da família, cada um lidando com suas próprias batalhas, perdas e frustrações.

A série está no ar desde 2016 e as temporadas completas estão disponíveis no Amazon Prime Video.

11. Eu Nunca…, de Mindy Kaling e Lang Fisher (Never Have I Ever…, 2020 – em exibição)

A divertida série de comédia retrata a vida de Devi (Maitreyi Ramakrishnan), uma adolescente de origem indiana que quer se tornar a garota mais popular da sua escola, nos Estados Unidos.

Mas a vida de Devi vai além dos dramas comuns de uma adolescente, pois ela está tentando lidar com todos os sentimentos e as emoções causados pela perda precoce do pai, Mohan (Sendhil Ramamurthy), enquanto vive em pé de guerra com sua rígida mãe, Nalini (Poorna Jagannathan).

As duas temporadas de Eu Nunca… estão disponíveis na Netflix.

anuncio patrocinado
Anunciando...