Como definir prioridades financeiras ganhando pouco

0

Antes de qualquer coisa, pegue um papel e uma caneta, ou um lápis. Você precisa pôr por escrito para visualizar seus ganhos e gastos com um planejamento financeiro para não deixar suas finanças na crise. E caso ela venha, para organizar contas na crise é preciso ter muito bem definido suas prioridades.

Então reserve um tempo para seu planejamento financeiro pessoal e leia este artigo até o final, pois nele há muitas dicas que vão poder ajudá-lo.

O que são prioridades financeiras

Para definir quais são suas prioridades financeiras, o primeiro passo é definir o que é essencial. Sobrevivência normalmente vem em primeiro plano, mas caso isso não seja de sua alçada, entenda as reais necessidades que você possui.

Todos aqueles compromissos que não podem ser adiados, como moradia, alimentação e saúde vêm em primeiro plano. Prioridades financeiras devem ser os primeiros itens do seu planejamento financeiro.

E qual a importância delas no seu planejamento financeiro?

Uma vez realizado seu planejamento financeiro, você se programa. Fica ciente do destino que seu dinheiro toma assim que você o recebe.

Uma vez entendido isso, você consegue descobrir o que te drena, seus vícios de compras por impulso, por exemplo, o que lhe dá mais opções para articular suas finanças na crise, ou fora dela, conseguindo dispor de valores para investimentos pessoais, rentáveis, lazer.

Como definir prioridades financeiras ganhando pouco

Ganhando muito, ou pouco as prioridades devem ser sempre bem definidas. Sempre pese para a real necessidade pessoal ou familiar.

Mesmo com pouco, considerando também gastos que podem ser altos, investimentos de valores baixos são sempre possíveis ao cortar gastos supérfluos.

Esta é a real validade de seu planejamento financeiro. Ao definir as prioridades, você enxerga a gama de possibilidades para investir, consegue organizar as contas na crise e ainda realizar investimentos.

Coloque tudo no papel

Quando foi pedido que você pegasse papel e caneta, não para desenhar uma casinha, mas quem sabe, desenhar como chegar até ela.

Então, nessa etapa anote tudo. Comece por suas receitas: salários, renda extra, investimentos. Depois anote seus gastos: custos de moradia, alimentação, lazer e outros.

Feito isso, busque também anotar se possui dívidas. Como costumam interferir diretamente no orçamento, é essencial que você busque negociar sua dívida o quanto antes. Em alguns casos, de dívidas caras, como a do rotativo, é mais vantajoso trocar por uma dívida barata, como um empréstimo. Mas é necessário avaliar cada caso para entender qual é melhor.

Ao pôr tudo muito bem organizado entre gastos, ganhos, necessidades, impulsos, lazer entre outros custos, a sua renda fica tão clara que você percebe o potencial que tem nas mãos, mesmo ganhando pouco.

Claro que às vezes não se pensa nas oportunidades, pois na maioria das vezes, as pessoas não visualizam o quadro geral. Não pensam em médio e longo prazo. Apenas no curto, ou no imediato.

Defina metas para curto, médio e longo prazo

Faça essas contas. Norteie seu caminho. Um dos caminhos primordiais a se seguir para evitar deixar as finanças na crise é definir metas.

Já identificada suas prioridades, deixe um valor adequado para que você viva durante o mês, guarde para que nunca falte e junte para conquistar o que deseja.

Dentro desse valor que você usará para conquistas futuras, determine o que você pode conseguir. Os prazos para que você consiga alcançar suas metas devem ser estipulados de acordo com seu planejamento financeiro pessoal, visando o valor total e o tempo de aquisição.

Divida seu orçamento por categorias

Em seu planejamento financeiro pessoal, que já deve estar em formulação, deixe os valores divididos por categorias. Como dito antes, defina as prioridades. Esse é o primeiro passo. Depois, divida todo o valor restante em categorias para ajudá-lo a determinar qual o caminho que sua renda tomará.

Separe uma parte de suas finanças para investimentos

Com as suas finanças muito bem categorizadas, não se esqueça de separar um valor mínimo para investimentos. Todo investimento é importante e pode ajudá-lo no futuro. Independente do valor que você ganhe, ou tenha para esse fim.

Cuidado com gastos não planejados

Lembra daquela reserva que foi comentada antes? Ela é seu salva-vidas. Mesmo com um planejamento financeiro afiado, moldado e timbrado, sua renda não é à prova de balas.

Caso aconteça alguma coisa como uma emergência, para não ficar com as finanças na crise, prepare-se. Seja precavido. A renda de reserva é útil e pode salvá-lo.

Além disso, é preciso muita atenção no uso do cartão. Atualmente, o cartão de crédito pode oferecer diversos benefícios, como anuidade grátis, programa de milhas ou cashback, mas lembre-se de usá-lo com cautela. Procure sempre ter o dinheiro da compra é só parcelar caso seja mais vantajoso.

Busque novas fontes de renda

Independente do quanto você ganhe, do quanto gaste, ou mesmo do quanto já consegue investir, ou guardar, busque outra renda. Não deixe de se capitalizar sempre que possível. Muitas vezes, o melhor investimento que você pode fazer é dar atenção e tempo para uma atividade que poderá lhe dar algum retorno.

Acompanhe suas finanças

Use as tecnologias a seu favor. Carteiras digitais estão em alta e podem te dar uma força para que você consiga ter um acompanhamento de quanto está rendendo seus investimentos, ou o quanto está sendo gasto com impulsos desnecessários. O bom e velho excel também ajuda, mas necessita de uma organização um pouco mais atenta.

Pois bem, independente do como ou qual ferramenta utilizará para organizar suas contas na crise, ou não, faça. Ter esse controle é a principal vantagem do planejamento financeiro e um dos principais caminhos para uma vida financeira saudável.

Saúde financeira alcançada!

Não é tão complicado se organizar no mundo das finanças. Tudo o que é necessário para um bom planejamento financeiro pessoal é um papel, uma caneta e atenção. Depois disso, é só determinar suas prioridades, dividir seus gastos em categorias e entender o que acontece com sua vida financeira. Organizar contas na crise, ou fora dela, não é tão complicado e evita sustos.

Deixe seu comentário quanto ao seu planejamento financeiro. Quais suas categorias, quanto destina para investimentos e afins e se usa alguma ferramenta para ajudá-lo. Suas ações podem ajudar muitas pessoas, então não deixe de comentar.

anuncio patrocinado
Anunciando...