Pai agride filho de 6 anos que não sabia fazer o dever de casa

0

Homem orientava filho a fazer tarefas da escola. Como a criança errava sempre, ele deu socos e rasteira no garoto, que desmaiou e foi socorrido em estado grave

 

 

Um homem de 26 anos foi preso em Caratinga, no Leste de Minas, depois de agredir o filho de 6 anos com socos no rosto e na cabeça, além de aplicar uma rasteira no garoto. O pai teria “se irritado” pelo fato de o menino não entender as orientações dele sobre o dever de casa e continuar errando na execução da tarefa.

O fato ocorreu neste domingo (27/6). No momento em que o pai aplicou a rasteira na criança, o garoto se desequilibrou e caiu. Antes de tocar o solo, bateu com a cabeça na quina de um móvel e sofreu um trauma. A criança foi intubada e transferida para uma UTI Infantil no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, em estado grave.

O tenente PM Fábio contou como a Polícia Militar soube das agressões do pai contra o filho. Segundo ele, os policiais da Sala de Operações da PM receberam a denúncia por meio de profissionais de saúde da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caratinga.

Através da denúncia, a Polícia Militar foi informada de que uma criança havia dado entrada na UPA com várias escoriações pelo corpo, que indicavam sinais de agressões.

Imediatamente, segundo o tenente Fábio, os policiais seguiram em duas viaturas para apurar a denúncia. Uma viatura foi à UPA e outra ao endereço onde mora a criança. Não demorou muito e os policiais souberem que o pai havia agredido o filho e deram voz de prisão a ele.

Na apuração da ocorrência, os policiais souberam que a criança caiu e ficou desacordada por alguns instantes, mas depois se contorceu, em convulsão.

Desesperado, o pai tentou desprender a língua da criança e, na tentativa de resolver o problema, colocou o filho debaixo do chuveiro com água fria.

Como nada dava certo, o pai chamou o socorro e levou o filho até à UPA. No local, a equipe médica desconfiou do pai, que apresentava sinais de embriaguez e não explicava com clareza o que havia acontecido.

Antecedentes

A PM informou que no momento da agressão, apenas o pai e o filho estavam em casa. A mãe do garotinho é falecida e o homem mora com outra mulher, com quem tem um filho de 1 ano e 7 meses. Nem a mulher nem o bebê estavam na residência.

A situação do pai agressor tornou-se ainda mais complicada quando os policiais consultaram o sistema informatizado para ver se ele tinha antecedentes criminais. Segundo o tenente Fábio, o homem já foi preso por homicídio.

Durante a apuração dos fatos, na residência onde aconteceu a agressão, os policiais foram informados que, ao saber que a Polícia Militar poderia ir até a sua casa, o homem pediu à sua mulher para esconder uma arma de fogo.

A mulher pegou a arma e entregou a um irmão do agressor. A PM está à procura da arma.

anuncio patrocinado
Anunciando...