Isabela Zinn e o fenômeno das fanfictions

0

A autora de “O Reino da Rosa Negra” e outros nomes que vieram das fanfics

Imagine esse cenário: você acabou de ler uma série de sete livros, se apaixonou pelos pelos personagens e pelo universo descrito, mas ninguém que você convive conhece os livros. O que fazer quando somente você conhece as belezas daqueles livros? Escrever. As fanfics surgiram da ideia de criar histórias sobre livros, filmes ou jogos já criados ー fanfics também podem falar sobre famosos no geral. Seriam fãs escrevendo sobre seus universos e personagens favoritos, criando novos enredos e tramas para disponibilizar gratuitamente na internet, onde milhares de outros fãs incompreendidos vão ler para superar a ressaca literária.

Foi o que aconteceu com a autora Isabela Zinn, estudante de 18 anos. Ela foi apresentada ao mundo do Kpop no final de 2016 e se tornou fã da boyband BTS. “Eu pedi para uma amiga me mandar alguns links de fanfics e minha vida mudou completamente”, relata Isabela, que, antes disso, tinha resistência ao gênero. E foi assim, lendo fanfics kpoppers na plataforma Spirit, que a vontade de escrever floresceu.

Normalmente narrativas desse estilo de texto são muito encontradas no Wattpad, plataforma de leitura e publicação gratuita que reúne mais de 90 milhões de usuários. Por lá, é possível encontrar diversas histórias envolvendo grandes figuras, como a recém e hilária fanfic que coloca Faustão e Selena Gomez em um relacionamento. “É a melhor fanfic que já escrevi”, diz Isabela sobre um conto inspirado em The Purge, no qual um assassino traumatizado e um presidiário esquizofrênico se apaixonam durante a noite de expurgo.

Apesar de algumas histórias serem engraçadas, existem outras que são sérias e que inclusive já conquistaram vários leitores pelo mundo inteiro, como “After”, escrito por Anna Todd que já ganhou adaptação cinematográfica e trouxe Harry Styles, quando participava de One Direction em 2013, como protagonista. Além dela, E. L. James também conquistou diversos espaços com “Cinquenta Tons de Cinza”, trilogia que nasceu de uma fanfic de “Crepúsculo”.

Depois de alguns anos, Isabela Zinn começou a se dedicar ao mercado editorial alternativo. Com a publicação de “O Reino da Rosa Negra”, pelo Grupo Editorial Coerência, saiu do mundo das fanfics, dando espaço para novos nomes que podem crescer algum dia. No caso de Isabela, as portas do mercado estavam bem abertas para recebê-la. “Tem um muro que separa ambas as escritoras dentro de mim”, ressalta ao revelar que muita coisa mudou das fanfics para o primeiro romance publicado.

Como as fanfics podem mudar o meio literário?
De fato, no universo das fanfics existem narrativas boas e ruins, mas independente da qualidade de escrita esses textos têm grande potencial de introduzir jovens e adolescentes gradativamente no meio literário. É por meio do fanatismo por bandas, personagens fictícios e/ou pessoas reais que muitas pessoas se encontram, assim, também podendo encontrar um leitor voraz ou um artista literário recheado de excelentes enredos dentro de si.

Pesquisas apontam que o Brasil vem perdendo vários leitores conforme o passar dos anos, e em um momento onde o mercado editorial necessita de mais pessoas que consumam livros para se reerguer, já que existe a possibilidade dos livros sofrerem com a nova Reforma Tributária, é mais que necessário valorizar e abrir os olhos para todo e qualquer meio que possa transformar grandes leitores e autores.
anuncio patrocinado
Anunciando...