Idosa de 83 anos é resgatada em situação análoga à escravidão

0

Doméstica teria trabalhado por 60 anos em uma fazenda de Rio Vermelho (MG) sem salário fixo, descanso semanal ou férias

 

Uma idosa de 83 anos foi encontrada em situação análoga à escravidão, em uma fazenda na zona rural de Rio Vermelho, a 325 km de Belo Horizonte.

Segundo os investigadores, a mulher trabalhou como empregada doméstica no local durante 60 anos, sem salário fixo, descanso semanal ou férias.

A idosa cozinhava, limpaza a casa, lavava e passava roupas, cuidava das crianças sem limite de jornada de trabalho. Os fiscais relataram que ela estava com a saúde debilitada quando foi encontrada.

“Os valores que recebia em dinheiro eram contados e destinados a pagar despesas específicas e inevitáveis da trabalhadora, em geral relacionadas a gastos com saúde”, destacou o MPT-MG (Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais).

O órgão chegou até o local após denúncia sobre a situação em que a idosa estaria vivendo. A operação foi realizada em conjunto com a Auditoria Fiscal do Trabalho e com a Polícia Rodoviária Federal.

Outros trabalhadores

Na fazenda, os agentes encontraram outrs três trabalhadores além da idosa que, segundo eles, estavam em situação degradante.

Um homem com deficiência auditiva estava entre eles. Os outros dois são um casal que vivia em uma casa sem estrutura há três quilômetros do local de trabalho, com três filhos.

“Os trabalhadores faziam o deslocamento de ida e volta a pé, todos os dias e, para chegar à casa, têm que cruzar um riacho, com água até acima do joelho, ou passar por uma pinguela precária construída no local por eles mesmos”, destacou o MPT.

Os quatro resgatados foram levados para a rede de proteção especial do município. Eles devem ser inscritos em programas de assistência social da cidade.

Agora, o Ministério Público do Trabalho negocia com o dono da fazenda o pagamento dos salários dos funcionários que não foram pagos, bem como os demais direitos trabalhistas.

anuncio patrocinado
Anunciando...