No último sábado(05), o Jornal da Record traz uma matéria com a Casa Cavé e Granado, exibida a partir das 19h45 na TV Record.

0
 

Será um VT Especial, a pauta terá como base as empresas que resistem ao tempo. Passaram por duas pandemias – Coronavírus / Covid 19, e a gripe espanhola, ocorrida em 1918, que vitimou em torno de 100 milhões de pessoas

 

A repórter Vanessa Libório conversou com diversas fontes, uma delas foi o arquiteto André Rodrigues, que cuidou da restauração da Casa Cavé – Doceria mais antiga do Rio, com 161 anos, localizada no Centro do Rio.

Espaços como esse exalam história. Neles passaram personalidades que marcaram a cena carioca. Nos trazem emoções e sentimentos. Em alguns casos recordações de épocas, é importante manter prédios como esse, pois fazem parte de um patrimônio histórico, cultural e artístico do Rio”, atesta André, carioca que respira espaços urbanos. Formado há 36 anos, sendo 30 anos deles dedicados ao segmento de food service. Com 59 anos ainda se encanta ao andar pelo Centro.

À frente da Granado, com 150 anos, Sissi Freeman, também ressaltou a importância das marcas,  que mantêm suas tradições por mais de um século.  Foram gravadas cenas na primeira loja e depois na fábrica da Granato.

Para Rodrigo Rainha, historiador, que também gravou depoimento – “Etabelecimentos como a Casa Cavé e Granado, de alguma maneira, mostram que existe um sentido e um sentido maior é justamente o valor, o valor da pessoa humana, o valor do cuidado, o valor de alguma coisa. Por isso, acabam sendo simbólicos no momento crítico. Acabam sendo estruturas que conseguem superar as maiores dificuldades. Por isso, são bons exemplos da gente perceber. Como, o cuidar, o fator humano acaba sendo central nas transformações e no próprio processo de resistência desses ambientes

Segundo Clarene Bernardo – administradora da Casa Cavé – “São espaços icônicos que passaram por todas as fases do Rio. Em tempos difíceis, ainda há motivos para comemorar“.

anuncio patrocinado