No DF, malandrão se lasca todo, ele corta tornozeleira, assalta e tenta matar uma pessoa

0

O acusado jogou o equipamento eletrônico em um terreno baldio de Ceilândia. Em menos de dois meses, ele roubou, ao menos, cinco pessoas em pontos de ônibus e tentou matar um homem, segundo as investigações

 

 

Policiais penais da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (Dpoe) prenderam, na manhã desta segunda-feira (7/6), um homem, de 20 anos, acusado de cortar a tornozeleira eletrônica para cometer uma série de roubos na área de Ceilândia. Segundo as investigações, entre março e abril, o rapaz, identificado como Gabriel Antônio Mota, assaltou ao menos cinco pessoas nos pontos de ônibus e tentou matar um homem.

Apelidado como “Terrorista”, o jovem foi preso no final de março por uma tentativa de roubo e a Justiça determinou que ele fosse monitorado por meio da tornozeleira. O equipamento foi colocado em 30 de março e, em menos de um mês, em 24 de abril, o acusado cortou o aparelho e o dispensou em um terreno baldio de Ceilândia, região onde ele costumava cometer assaltos. De acordo com a apuração policial, após roubar as pessoas, ele se escondia na casa da mãe, no Riacho Fundo.

Uma fonte da Secretaria de Administração Penitenciária afirmou que Gabriel é o autor de cinco roubos em diversas paradas de ônibus de Ceilândia, e furtado pertences de dentro de veículos, que ficavam estacionados na região. Na manhã desta segunda-feira, policiais penais o localizaram no Riacho Fundo 2. Contra ele, há dois mandados de prisão em aberto expedidos pela Justiça do DF.

Tentativa de homicídio

De acordo com a ocorrência a que o Correio teve acesso, em 14 de março, Gabriel tentou matar um rapaz a facadas. Em depoimento a um policial ainda no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), a vítima relatou que o motivo da agressão foi por ter se envolvido em uma briga para defender um amigo contra outros três homens.

A vítima  levou três facadas nas costas e uma no pescoço. Gabriel e os comparsas fugiram em um Pálio branco e não foram localizados à epoca dos fatos. A autoria de Gabriel no crime ficou comprovada por reconhecimento por foto.

anuncio patrocinado